Pub

Rogério Bacalhau, que é vice-presidente do município, reconheceu que a Câmara de Faro tinha pessoas a mais quando o executivo social-democrata tomou posse em 2009, altura em que se gastava, em média, 1,4 milhões de euros em salários, valor que desceu agora para os 900 mil euros

O candidato do PSD falava á agência Lusa á margem de uma visita que efetuou ás instalações do município, com outros membros da lista da coligação “Juntos por Faro”, e durante a qual foi entregue uma mensagem de agradecimento ao empenho dos colaboradores da autarquia

“Com a diminuição de receitas que tivemos ao longo deste tempo, se tivéssemos o mesmo número de funcionários, neste momento, não pagaríamos ordenados”, afirmou Rogério Bacalhau, acrescentando que a redução permitiu que hoje seja possível manter as obrigações com os funcionários

De acordo com o candidato, as cerca de 300 pessoas que saíram da autarquia durante o último mandato não foram dispensadas das funções que exerciam por opção do município, mas sim porque a lei impede a renovação de contratos com mais de três anos

“Todos esses funcionários atingiram o limite de tempo de permanência em contrato, ou seja, os três anos, e as pessoas saíram porque terminaram esses contratos”, explicou

Alguns desses funcionários estão a ser intimados pela Câmara de Faro a restituírem ao município verbas pagas indevidamente ao abrigo das compensações a que tiveram direito pela caducidade de contrato, devido a erros administrativos

Rogério Bacalhau explicou que os erros foram detetados numa auditoria concluída em 2012 e reconheceu que o processo poderia ter ocorrido mais cedo, uma vez que o pagamento de verbas indevidas ocorreu há cerca de três anos

Reconhecendo que há situações “complicadas”, nomeadamente de ex-funcionários que se encontram desempregados, o candidato prometeu que tudo será feito para ajudar essas pessoas, através, por exemplo, de planos de pagamentos em função da disponibilidade financeira

Além do social-democrata, que concorre pela coligação “Juntos por Faro” (PSD/CDS-PP/MPT/PPM) estão na corrida para a Câmara de Faro o socialista Paulo Neves, o independente José Vitorino, António Mendonça (CDU), Vítor Ruivo (BE) e Vítor Silva (PPV-Partido Pró Vida)

Pub