Pub

O social-democrata Rogério Bacalhau, presidente da Câmara de Faro, vai recandidatar-se nas eleições autárquicas deste ano para tentar alcançar o terceiro e último mandato à frente da câmara da capital algarvia, disse hoje o próprio à Lusa.

Em declarações à Lusa, depois de o PSD ter divulgado o seu nome entre os cabeças de lista a 77 câmaras, o atual presidente da autarquia considerou o anúncio “natural”, uma vez que o partido já tinha tomado a decisão de “apoiar os presidentes em exercício, que pudessem e se quisessem recandidatar”.

Eleito em 2013 e reeleito em 2017, Rogério Bacalhau (PSD/CDS-PP/MPT/PPM) conseguiu, com a sua reeleição, quebrar a tendência eleitoral do município, cuja ‘tradição’ era de alternância sistemática de poder entre o PS e o PSD.

“É nesse sentido que hoje foi divulgado e é o meu caso, já que estou em condições de poder recandidatar-me e, a seu tempo, apresentarei a candidatura”, afirmou o professor, que se retirou da escola em 2009 para integrar a lista de Macário Correia.

O autarca assumiu que um possível terceiro e último mandato será “uma continuidade” dos anteriores”, mas terá “maior realização” de projetos, tendo em conta tudo o que está a ser preparado, desde “a frente ribeirinha, à baixa da cidade, intervenções nas freguesias rurais e na do Montenegro”.

Questionado quanto à vontade em manter a atual lista que o apoia na Câmara, remeteu uma posição para mais tarde por considerar não ser “hoje o momento para isso”, acrescentando que o partido sabe “qual a sua posição” e que “a seu tempo” irá apresentar a lista.

Em jeito de balanço o autarca afirmou que “só com tempo” é possível “preparar e executar projetos”, defendendo que os mandatos autárquicos “deveriam ser de seis anos, com um limite de dois mandatos”, alegando que “quatro anos é muito pouco”.

“Estivemos o primeiro mandato a resolver problemas financeiros, pagámos o PAEL [Programa de Apoio à Economia Local] e o reequilíbrio financeiro em 2017 e o segundo mandato foi de muita realização de obras com milhões de investimento todos os anos, mas os grandes projetos que estamos a desenvolver não cabiam neste mandato”, assumiu.

Rogério Bacalhau refere-se às frentes ribeirinhas, à habitação social e a “um conjunto de outros projetos” que admitiu estarem em preparação: “Há muita coisa para continuar e muito para fazer”, concluiu.

Rogério Conceição Bacalhau Coelho nasceu em 09 de abril de 1962 em Paderne, Albufeira, tendo-se mudado para Faro aos seis anos, cidade onde estudou, constituiu família e desenvolveu a sua atividade pro­fissional como professor de Matemática.

Rogério Bacalhau sucedeu na presidência da Câmara de Faro a Macário Correia, depois de ter sido seu vice-presidente e de o ter substituído durante alguns meses quando este foi condenado a perda de mandato por irregularidades no licenciamento de obras privadas em Tavira, em 2013.

Depois de Macário Correia ter anunciado que não se recandidatava – vindo mesmo a afastar-se da vida política -, nesse mesmo ano, Rogério Bacalhau candidata-se à Câmara de Faro e vence, feito que repete em 2017.

Na corrida à Câmara de Faro está também o socialista João Marques, o candidato escolhido pelo PS para tentar recuperar para o partido a presidência da capital de distrito.

João Godinho Marques foi vereador no executivo liderado pelo ex-secretário de Estado José Apolinário, entre 2005 e 2009 – o último de maioria socialista na Câmara de Faro.

Lusa

 

Pub