Breves
Inicio | Igreja | S. Brás de Alportel acolheu Encontro Nacional nos 35 anos dos ‘Jovens Sem Fronteiras’

S. Brás de Alportel acolheu Encontro Nacional nos 35 anos dos ‘Jovens Sem Fronteiras’

Encontro_nacional_jovens_sem_fronteiras_2018 (29)
Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Realizou-se de sexta-feira até domingo, em São Brás de Alportel, o XXX Encontro Nacional dos ‘Jovens Sem Fronteiras’ (JSF), movimento juvenil católico de cariz missionário ligado à Congregação do Espírito Santo (espiritanos), também conhecidos como Missionários do Espírito Santo.

O encontro, realizado pela primeira vez no Algarve, reuniu cerca de 160 participantes dos quase 40 grupos de JSF existentes em Portugal e foi também oportunidade para celebração dos 35 anos de vida daquele movimento.

No final da eucaristia na igreja matriz com que, no domingo, o encontro terminou, Tatiana de Jesus, da Coordenação Nacional dos JSF, garantia que a identidade do movimento se mantém. “Passado todo este tempo, os nossos jovens são diferentes, mas a vontade de viver a alegria do evangelho permanece a mesma. A Palavra de Deus permanecerá em nós no regresso a casa e por mais 35 anos”, assegurou numa alusão ao tema do encontro: “A Palavra de Deus está em vós”.

Encontro_nacional_jovens_sem_fronteiras_2018 (5)
Da esqª para a dirª: os padres António Farias, Miguel Ribeiro, Pedro Fernandes e Hugo Ventura com o bispo do Algarve, D. Manuel Quintas (ao centro) • Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Também o superior provincial dos Missionários do Espírito Santo quis vincar essa identidade. “Somos mais do que uma associação juvenil. O que fazemos é muito mais do que voluntariado, é muito mais do que solidariedade porque é alicerçado em Jesus. É Jesus que nos une, chama e envia e é por isso que chamamos a isto missão”, afirmou na celebração o padre Pedro Fernandes, realçando que “os JSF são um movimento de grupos de inserção paroquial”. “É muito importante que todos nos comprometamos muito a sério nas nossas paróquias, na nossa Igreja local”, considerou, lembrando que aquele movimento juvenil faz parte da Família Espiritana.

Em declarações ao Folha do Domingo, o coordenador nacional dos JSF assegurou que a pertença à Igreja no movimento, como uma “semente que é lançada e que vai dar frutos”, “marca as pessoas para a vida”. “Aqueles que vão passando, depois ao longo da vida, ficam muito ligados à missão, às suas paróquias e muito construtores de família”, sustentou o padre Miguel Ribeiro, acrescentando que a experiência “marca toda a caminhada cristã na abertura também ao que é diferente”. “O olhar fica treinado para ir buscar mais longe do que aquilo que lhe põem à frente”, observou.

Aquele responsável admitiu ainda que o primeiro encontro nacional no Algarve possa ser um estímulo para o surgimento de mais grupos de JSF a sul do Tejo. “Aqui no Algarve já apareceu uma ou outra paróquia que gostava”, contou, considerando que os grupos algarvios do movimento “já mereciam há muito tempo receber o encontro nacional”.

Fundados a 31 de janeiro de 1983 em Lisboa pelo padre Firmino Cachada, missionário espiritano, os JSF contam atualmente com cerca de 600 elementos a nível nacional. No Algarve existem dois grupos nas paróquias de São Brás de Alportel e Santa Catarina da Fonte do Bispo, ao cuidado dos missionários espiritanos, e que estiveram diretamente envolvidos na organização do encontro nacional deste ano. No entanto, o primeiro grupo algarvio de JSF surgiu no início da década de 1990 na paróquia de São Pedro de Faro, tendo sido posteriormente desativado.

Os participantes no XXX Encontro Nacional ficaram alojados na Escola Secundária José Belchior Viegas e o evento teve início na sexta-feira à tarde, tendo os jovens sido acolhidos com um lanche seguido de jogos tradicionais.

Depois do jantar teve lugar na Santa Casa da Misericórdia local a abertura oficial, seguindo-se um espetáculo com danças e encenações e a oração da noite.

No sábado, após a oração, a manhã fui preenchida com duas intervenções que procuraram testemunhar como é que o tema do encontro pode ser concretamente vivido na realidade quotidiana. Bruno Leite, um dos antigos JSF, que abordou o tema “A Palavra de Deus: ser letra a letra”, partilhou como é que o movimento lhe tem proporcionado viver essa experiência através de diversas atividades, várias delas de voluntariado missionário em diferentes países. Jane Sinon, evangélica, que abordou o tema “A Palavra de Deus: ser gesto para o mundo”, testemunhou o seu trabalho no campo de refugiados de Lesbos (Grécia) com um grupo de cristãos de várias outras Igrejas.

A manhã foi ainda aproveitada para a Coordenação Nacional apresentar várias atividades e acontecimentos no âmbito da pastoral juvenil e à tarde decorreu pelas ruas da vila o ‘Photopaper’, um peddypaper fotográfico. Depois da oração da tarde e do jantar ocorreu a celebração festiva dos 35 anos com direito a bolo.

Encontro_nacional_jovens_sem_fronteiras_2018 (2)
Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

No domingo, após a oração da manhã, realizou-se uma apresentação do Serviço Pastoral a Pessoas com Deficiência (SPPD) da Diocese do Algarve, subordinada ao tema “A Palavra de Deus: está em vós”, sobre a importância do acolhimento e integração daquelas pessoas e o encontro terminou com a celebração da eucaristia presidida pelo bispo do Algarve.

D. Manuel Quintas pediu aos jovens que continuem a ser “palavra viva de Deus” e lembrou-lhes que a “vocação missionária que é tarefa de todos” “porque brota do batismo”. O prelado, que agradeceu ao superior provincial dos espiritanos pela presença daquela congregação no Algarve, considerou que o Ano Missionário que a Igreja portuguesa começou este mês a viver servirá para avivar em cada um este dever. “Certamente que vós alicerçais a vossa consistência como grupo na vivência desta dimensão cristã. De tantas maneiras e tantos modos procurais também contagiar a todos neste espírito missionário”, complementou.

O pároco de São Brás de Alportel, padre António Farias, agradeceu por terem escolhido aquela paróquia para o encontro. “Foi uma graça para nós e, certamente, vai produzir os seus frutos para o grupo de JSF aqui da comunidade e também para toda a comunidade”, considerou o missionário espiritano.

Encontro_nacional_jovens_sem_fronteiras_2018 (34)
Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Depois da eucaristia, também concelebrada pelo futuro coordenador nacional do movimento, o padre Hugo Ventura, da mesma congregação, os jovens realizaram o seu compromisso JSF e visualizaram um vídeo sobre o encontro. No adro da igreja protagonizaram ainda um momento simbólico de compromisso pela construção da paz com a largada de uma pomba.

O próximo encontro nacional será realizado na região Douro, em local ainda a designar.

Fotogaleria

Verifique também

Consagrados a trabalhar no Algarve reuniram-se para refletir como “ser pão para os outros”

O Secretariado Regional do Algarve da CIRP – Conferência dos Institutos Religiosos de Portugal abriu …