Pub

Foto © Lusa

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) encerrará 61 agências no país, incluindo quatro no Algarve, segundo a “lista atualizada e revista” enviada à comissão parlamentar de recapitalização e gestão do banco público.

Datado de 22 de março, o documento enviado pelo presidente do conselho de administração da CGD, Rui Vilar, indica que deverão encerrar “nesta fase” as agências da Ameijeira (Lagos), Gambelas (Faro), Monte Gordo (Vila Real de Santo António) e Quinta do Amparo (Portimão).

Anteriormente, o plano apontado passava pelo encerramento de 70 balcões, cerca de 50 no final deste mês e os restantes até final do ano.

A reavaliação da lista de agências a fechar foi negociada com Bruxelas pela anterior administração do banco público, liderada por António Domingues, e é uma das contrapartidas acordadas para que a recapitalização da CGD que está a decorrer, num montante superior a 5.000 milhões de euros, não seja considerada ajuda de Estado.

Desde há semanas que os encerramentos têm provocado contestação do poder político local e fonte do Sindicato dos Trabalhadores do Grupo Caixa já tinha dito à Lusa que estão preocupados com encerramento dos balcões.

O PS pediu ontem ao Governo para esclarecer se a reorganização da rede de balcões garante a “salvaguarda mínima de cobertura” territorial por concelho e questionou quais os critérios para a redução de efetivos, num requerimento enviado ao executivo.

A CGD apresentou prejuízos históricos de 1.859 milhões de euros no ano passado, dez vezes mais do que os resultados negativos de 171 milhões de euros de 2015, o que foi justificado pela constituição de novas imparidades (perdas potenciais, sobretudo para crédito) num montante superior a 3.000 milhões de euros.

com Lusa

Pub