Inicio | Igreja | Semana do Consagrado procurou levar jovens a conhecer as congregações religiosas

Semana do Consagrado procurou levar jovens a conhecer as congregações religiosas

Dia_consagrado_2015 (4)
© Samuel Mendonça

A Semana do Consagrado, que decorreu de 26 de janeiro até ontem sob o tema “Consagrados para anunciar o Evangelho”, foi assinalada no Algarve com atividades promovidas pelo Secretariado Regional do Algarve da CIRP – Conferência dos Institutos Religiosos de Portugal que procuraram levar os jovens a conhecer as congregações presentes na diocese.

Assim, na sexta-feira realizou-se à noite uma vigília de oração na igreja de São Francisco, em Faro, seguindo-se, no domingo, uma “experiência de vida” com as comunidades religiosas femininas que se dispuseram acolher diversos grupos de jovens da cidade de Faro e arredores.

Da iniciativa, sob o lema “Comunidades abertas – «Vinde e Vede» (Jo 1, 39)”, resultaram trabalhos sobre os institutos, realizados pelos visitantes, que foram apresentados no domingo à tarde num encontro realizado no Carmelo do Patacão, no concelho de Faro, que foi concluído com a eucaristia presidida pelo bispo do Algarve. Na celebração, D. Manuel Quintas congratulou-se com o “dom dos consagrados” que “enriquecem” a Igreja algarvia com “aquilo que são” e “também com o seu serviço”.

O prelado fez questão de distinguir a diferença entre a “especial consagração” dos religiosos e a “consagração” de todos os batizados. “Além do batismo tiveram outra consagração”, explicou sobre os consagrados, sublinhando que estes assumiram a condição de obediência, pobreza e castidade, vivendo totalmente para Deus e para os outros. “É uma felicidade profunda, na medida em que a própria vida é entregue a Deus para que possa frutificar no serviço aos outros. Não é uma vida privada de fecundidade”, complementou.

D. Manuel Quintas, também ele membro de um instituto religioso – Congregação dos Sacerdotes do Coração de Jesus (dehonianos) –, referiu-se ao Ano da Vida Consagrada, proclamado pelo Papa e que a Igreja está a viver até 2 de fevereiro de 2016, lembrando que Francisco pediu que a iniciativa seja “para toda a Igreja e não apenas para as pessoas consagradas”.

Lembrando os três objetivos desta celebração – “fazer memória agradecida do passado”; “abraçar o futuro com esperança”; e “viver o presente com paixão” – o bispo diocesano desafiou os consagrados a “olhar para o passado do próprio instituto, da própria vida pessoal e da Igreja”. D. Manuel Quintas invocou os 50 anos passados sobre o Concílio Vaticano II lembrando que “todos os institutos foram convidados a uma verdadeira revolução, a nível das próprias constituições, da regra de vida e de tantos outros aspetos da vida religiosa”.

O bispo do Algarve desafiou a “reavivar a paixão que deve caraterizar a vida de cada dia dos consagrados” e a “viver o presente com paixão para revitalizar a própria consagração”. Neste sentido, D. Manuel Quintas considerou que “os consagrados têm de ser pessoas de esperança”, sem “medo do futuro” e exortou-os a “oferecer a própria vida para que outros tenham vida”.

“Admiramos muito os consagrados pelo que fazem e esquecemo-nos que mais importante do que o que fazem é aquilo que são, é aquilo que motiva o que fazem”, constatou o prelado que pediu a Deus que faça surgir na Igreja, e concretamente na diocese algarvia, vocações de consagração. “Se sentirdes no vosso coração o apelo a viverdes a vossa vida desta maneira e deste modo, não tenhais medo. Não exijais saber tudo desde o primeiro dia. Deus não abandona aqueles que chama e, em cada momento, está presente na vida daqueles que respondem ao seu chamamento. Esta é uma certeza da qual não podemos duvidar”, afirmou D. Manuel Quintas aos muitos jovens presentes, lembrando-lhes que “dificuldades há em todas as formas de vida”.

No final da eucaristia, concelebrada por padres religiosos de algumas congregações presentes no Algarve, foram ainda homenageadas quatro religiosas que completam este ano 50 anos de vida consagrada e uma que perfaz 25 anos, tendo as irmãs realizado a renovação dos seus votos de consagração.

No ano Algarve existem 19 institutos de vida consagrada, constituídos por 75 membros, dos quais 53 são irmãs, 16 são padres religiosos (que têm a seu cargo 23 paróquias na diocese, mais de um quarto do total das comunidades paroquiais) e seis são consagrados de vida secular.

A crise de vocações consagradas que vive toda a Igreja tem-se sentido também no Algarve e agravado na última década. Ao nível dos institutos religiosos femininos, dos sete que desde 2003 tiveram que fechar comunidades no Algarve, três saíram mesmo da diocese, alguns deles com uma presença que vinha de há mais de um século.

O Dia do Consagrado coincide com a festa litúrgica da Apresentação do Senhor, a 2 de fevereiro, quando se evoca o momento em que Jesus, com poucos dias, foi simbolicamente oferecido a Deus no templo de Jerusalém, de acordo com as prescrições judaicas.

Religiosos ou consagrados são os sacerdotes, irmãos ou irmãs, pertencentes a um(a) instituto/congregação religioso(a).

Verifique também

Paróquia das Ferreiras acolhe Oficina de Oração e Vida

A paróquia das Ferreiras está a acolher uma Oficina de Oração (TOV) e Vida desde …