Pub

"O Sérgio vai estar no banco. Isso é garantido", afirmou Jorge Rosário, na antevisão da partida com os vila-condenses, ao ser questionado sobre a ausência de Conceição nos treinos de quinta-feira e hoje, justificada pela direção do clube de Olhão por "razões pessoais".

Entre lesionados, jogadores ausentes devido a compromissos de seleções e outros com saída anunciada, o Olhanense vai apresentar apenas 15 jogadores em Vila do Conde, o que originou uma reação forte do adjunto.

"O clube tem que fazer um esforço e contratar novos jogadores, senão não há condições. Não temos tido soluções e nos últimos dois ou três jogos só temos tido 14 ou 15 jogadores disponíveis. Isto não pode acontecer numa equipa da primeira divisão", sublinhou Jorge Rosário.

Apesar das dificuldades, o técnico espera uma reação à altura dos jogadores: "Os jogadores souberam honrar a camisola e isso é que é o mais importante. Sabemos que o jogo vai ser difícil mas tenho a certeza que estes jogadores vão mais uma vez saber dignificar o clube".

Em relação ao Rio Ave, Jorge Rosário classificou-o como "um adversário que este ano está muito bem, tanto a jogar como na classificação", assegurando que João Tomás, de partida para o Recreativo Libolo (Angola), "não lhes irá fazer falta".

"O João Tomás marcou muitos golos e era um jogador importante, mas eles têm um plantel com muitas alternativas. Se ele estivesse, o Rio Ave era mais forte, mas não estando, é forte na mesma", disse o adjunto do Olhanense.

Jorge Rosário admitiu que o empate será "um resultado positivo".

"Fora é sempre importante pontuar: se pudermos ganhar, melhor, se empatarmos também será um resultado positivo, e, se calhar devido à fase que estamos a atravessar, um ponto é extremamente importante. Mas nesta altura é sempre importante pontuar", concluiu.

O Rio Ave, quinto classificado, com 18 pontos, recebe sábado o Olhanense, 12º, com 11, em jogo marcado para as 16:00, com arbitragem de Renato Gonçalves (Guarda).

Lusa

Pub