Pub

O Setor da Pastoral Juvenil da Diocese do Algarve apresentou no passado dia 24 de setembro o seu programa de atividades para o presente ano pastoral de 2021/2022.

Em destaque na apresentação online do calendário de iniciativas estiveram as que se relacionam com a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) em 2023, em Lisboa.

A propósito da preparação para o encontro mundial da juventude com o Papa Francisco, um dos assistentes do Setor Diocesano da Pastoral Juvenil (SDPJ) deixou claro que os encontros mensais ‘Algarve Rumo ao 23’, iniciados em janeiro deste ano, não se destinam a catequizandos do 8º e 9º anos de catequese. “Temos consciência de que os miúdos atualmente no 8º e 9º anos de catequese vão participar na JMJ porque em 2023 terão idade para tal, mas estes dias 23 não são para eles”, clarificou o padre Nelson Rodrigues.

O sacerdote acrescentou que há cerca de um ano ficou decidido na diocese que a preparação para a JMJ seria, no caso dos jovens, da responsabilidade do SDPJ e, no caso dos adolescestes, da incumbência do Setor Diocesano da Catequese da Infância e Adolescência (SDCIA). “Sabemos que não é pedagógico juntarmos adolescentes de 13, 14 anos com jovens de 18, 20, 21”, justificou, referindo que, por isso, o SDCIA ficou com a responsabilidade de preparação do projeto de catequese ‘Say Yes – aprender a dizer sim’ e o SDPJ com a do itinerário catequético ‘Rise UP’’.

Por isso mesmo, aquele responsável destacou que o encargo da preparação para a próxima JMJ recai, sobretudo, sobre as paróquias.

Sobre a passagem dos símbolos da JMJ – a cruz e o ícone mariano – pelo Algarve, o delegado da diocese para a organização do encontro mundial da juventude explicou que o programa da sua peregrinação pelas paróquias algarvias está a ser definido em colaboração com as mesmas. No entanto, João Costa adiantou que “os símbolos não vêm somente para aqueles estão sempre muito na igreja, mas também para aqueles que estão nas periferias”. “O nosso objetivo não é de todo fazer a passagem dos símbolos apenas nas nossas igrejas. É uma oportunidade única de podermos chegar um bocadinho mais além, e, quem sabe, poder ir às escolas, hospitais, prisões, às periferias. Somos a primeira diocese portuguesa a receber os símbolos, vamos marcar o passo e acho que temos de arriscar e inovar”, referiu o responsável do Comité Organizador Diocesano (COD).

No último dia na Diocese do Algarve, os símbolos estarão presentes em Loulé, no Santuário de Nossa Senhora da Piedade, popularmente conhecida como Mãe Soberana, numa celebração de despedida, sendo depois entregues à Diocese de Beja.

O COD sugere ainda que em cada paróquia seja criado um oratório JMJ “num local na igreja ou noutro espaço que lhe confira dignidade”. Na ornamentação desse oratório, a organização propõe a aquisição do logótipo em madeira que pode ser personalizado com o nome de cada paróquia, comunidade ou movimento e encomendado online. Existem duas opções, de espessuras diferentes, a primeira custa 90 euros e a segunda 42.

Para além dos demais artigos de merchandising oficial da JMJ, será ainda criada uma t-shirt especificamente para a Diocese do Algarve, que brevemente poderá ser encomendada.

Outra das iniciativas em realce foi a formação para animadores sobre a exortação apostólica pós-sinodal ‘Christus Vivit’ e a encíclica ecológica e social ‘Laudato Si’.

Segundo o padre Nelson Rodrigues serão 16 encontros online ao longo do ano (um ou dois por mês), orientados por si e pelo padre Tiago Veríssimo, também assistente do SDPJ. Segundo o sacerdote, a formação, que tem como destinatários também jovens adultos, proporcionará uma “leitura calma, tranquila, pausada” daqueles documentos.

A exortação apostólica ‘Christus Vivit’ será abordada de 19 deste mês até 22 de fevereiro e a encíclica ‘Laudato Si’ será de 15 de março a 14 de junho. As inscrições podem ser feitas até dia 10 deste mês.

Foi ainda informado que as inscrições para a Jornada Diocesana da Juventude, nos dias 19, 20 e 21 em Monchique, deverão ser feitas até dia 24 deste mês.

No programa de atividades do SDPJ estão ainda previstos os encontros com grupos catequizandos que se vão crismar, mediante a solicitação dos catequistas, a Quaresma Jovem Diocesana, no dia 4 de março de 2022, no Santuário de Nossa Senhora da Piedade, Mãe Soberana, em Loulé, e o encontro ecuménico jovem ‘Lou’Cristo’ no dia 25 de junho de 2022, no Centro Pastoral de Pêra. “É um encontro jovens cristãos para louvarmos todos juntos ao mesmo Senhor e aprendermos a escutar quem pensa de maneira diferente da nossa e percebermos que aquilo que nos une, às vezes, é muito mais enriquecedor”, explicou o padre Tiago Veríssimo, sobre o encontro de jovens católicos e evangélicos em torno da música.

Pub