Pub

O Teatro das Figuras, em Faro, anunciou hoje a suspensão da sua programação até ao dia 03 de abril, uma medida que visa combater a propagação da doença provocada pelo novo coronavírus.

A medida, já tomada por outras salas de espetáculos no país, implica o adiantamento de todos os espetáculos e formações agendados a partir de quinta-feira, adiantou fonte da estrutura em comunicado.

“Neste contexto, não serão apresentados os espetáculos Fit (IN), Carminho, ‘O Meu Amigo Robô’, Romeu & Julieta, Atelier de Construção de Máscaras, Palavras à Solta, ‘A Criada Zerlina’, Festival Encontros do DeVIR e ‘A Flauta Mágica'”, lê-se no comunicado.

A 17.ª edição do Dançarte e os espetáculos ‘Ideias em Palco’, Teatro de Vizinhos e Herido Barrio serão igualmente adiados, “uma vez que implicam a deslocação internacional de uma quantidade considerável de participantes e intérpretes”, prossegue a nota.

Os restantes espetáculos previstos para o Teatro das Figuras “mantêm-se agendados”, mas a sua apresentação será definida “em função da evolução do surto e até indicação em contrário”.

As datas dos espetáculos reagendados serão “divulgadas, assim que possível”, sendo os bilhetes adquiridos válidos para as datas a anunciar.

Contudo, os espetadores que pretendam ser reembolsados deverão fazê-lo juntos dos pontos de venda em que compraram os bilhetes para os espetáculos.

A Câmara Municipal de Faro anunciou também que ficam “preventivamente adiados os eventos desportivos promovidos no âmbito do município”, o que inclui a 4.ª Meia Maratona da Água, reprogramada para o dia 3 de outubro. “Ficam ainda canceladas todas as deslocações em transportes coletivos municipais para fora do concelho”, acrescentou a autarquia.

A segunda edição do Festival Internacional de Cinema e Literatura de Olhão (FICLO), que iria decorrer entre 26 de março e 4 de abril, também foi adiada, de acordo com um comunicado divulgado hoje pela organização.

“Dado ao elevado número de convidados internacionais que o evento contaria ter e às recomendações de limitação à circulação de pessoas oriundas de espaços com focos comunitários de contágio, a direção do FICLO entende que estava comprometida a qualidade de programação necessária à realização do evento”, refere a nota.

Várias salas de espetáculos no país, sobretudo a norte, já anunciaram a suspensão da sua programação para as próximas semanas na sequência do surto de Covid-19.

A epidemia foi detetada em dezembro, na China, e já provocou mais de 4.300 mortos em 28 países e territórios.

O número de infetados ultrapassou as 120 mil pessoas, com casos registados em 120 países e territórios, incluindo Portugal, que tem 59 casos confirmados.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou hoje a doença Covid-19 como pandemia.

com Lusa

Pub