Pub

Paulo Dias, Luís Lima e António Piedade, residentes em Oeiras, iniciam o percurso de cerca de 1050 quilómetros que vai ligar as duas cidades no sábado, com a partida a ser dada da baixa de Faro, às 10:00.

A iniciativa, que conta com o apoio da Câmara Municipal de Faro e pretende "desafiar toda a população a juntar-se em torno de um apoio comum à seleção nacional”, vai passar por Évora, Lisboa, Aveiro, Gaia e Braga, antes da chegada a Bragança, "marcada para as 16:30 do dia 24, data do Portugal-Cabo Verde (particular de preparação para o Mundial)", segundo o organizador da corrida, Mário Machado.

Machado explicou que "a corrida será feita na modalidade de estafeta, com cada atleta a fazer uma distância de 10 quilómetros numa hora, sucessivamente, ou seja, irão fazer 10 quilómetros e descansar 20".

"O objetivo é fazer uma média de 35 a 40 quilómetros por dia, durante os 10 dias da corrida, para completar os cerca de 1050 quilómetros entre Faro e Bragança", acrescentou, frisando que, "para ter uma ideia da dificuldade da tarefa, cada atleta tem que apoiar 8000 vezes o pé no chão” para cumprir essa distância.

O organizador da iniciativa adiantou que a "ideia partiu dos próprios atletas, que têm o sonho de serem recebidos pela seleção" depois de concluída a corrida, e a sua missão "foi ajudar a montar a logística e encontrar um patrocinador, que é a (empresa de apostas por Internet) Betclick".

Mário Machado diz que a expetativa dos atletas é "criar uma onda de apoio à seleção como a originada com as bandeiras pelo antigo selecionador de Portugal Luiz Felipe Scolari", por ocasião do Euro2004.

"Esperamos que as pessoas deem o seu apoio de duas formas: ou juntando-se à corrida e fazendo alguns quilómetros com os atletas ou estando nas partidas e chegadas com bandeiras e cachecóis", precisou.

Durante a passagem pelas cidades, os atletas "vão ser recebidos por representantes das câmaras municipais, que irão assinar o testemunho e escrever uma mensagem de apoio à seleção".

"Eles esperam depois, no final, conseguir entregar esse testemunho aos jogadores da seleção", acrescentou.

A logística é, segundo Machado, "pesada", pois "inclui dormidas em hotéis, contratação de massagista, de técnicos, ‘catering’ e refeições", mas ainda “não está quantificada”.

"Vamos ver se tudo corre bem e no dia 24 eles estão em Bragança", concluiu.

Lusa

Pub