Pub

Vários assuntos me assaltaram, aquando do meu pensamento, sobre a temática que iria abordar neste espaço de opinião quinzenal. Convenhamos que na última quinzena, Portugal e Mundo tiveram dias de particular actividade vida social. Houve um casamento real, que apesar de ser muito restrito no número de convidados, (só 1900 na Igreja, reduzidos depois a 600 no cocktail de almoço e por fim a 300 no jantar. Qualquer casamento de pessoas de etnia cigana dura mais dias e tem muitos mais convidados!), o país e o mundo pararam para ver o casamento da Cinderela com o seu príncipe encantado! Depois houve um funeral no mar arábico ou do Paquistão e que, provavelmente, passará a ser conhecido como o Mar do Bin Laden. O que é certo é que o mundo assistiu contente e feliz a um funeral, onde não há corpo, nem fotos, nem algo que prove verdadeiramente que de facto Bin Laden estava vivo e foi morto pelos soldados americanos durante uma luta de fogo cruzado. Eu, e por mim falo, só acredito num morto cujo corpo desapareceu, porque ressuscitou. Ele chama-se Jesus Cristo e é o Filho de Deus, que veio ao mundo para nós salvar. Todos os outros mortos cujo os corpos desapareceram ou no mar ou sabe-se lá “deus como” eu posso acreditar ou não. Entre o casamento e o funeral houve a beatificação de um Santo, que não se cansou de lutar e anunciar a paz no mundial. Ironia do destino! Depois da beatificação de João Paulo II, o mundo assistiu ao anúncio da morte de alguém que não só lutou contra a paz, como a sua suspeita e misteriosa morte pode ser causadora de uma violenta guerra.

Mas para além destes acontecimentos sociais, o nosso país tem uma preocupação única, que esquizofrenicamente é dirigida por uma troika. A nossa preocupação meus amigos são 78 mil milhões de euros! Algo que só com muitos prémios do euromilhões se consegue! Ora, parece que para Portugal conseguir essa massa toda, têm que os finlandeses, entre outros, autorizar. É verdade, parece que o pessoal do país dos telemóveis tem que dar autorização para que esses milhões todos venham cá parar. E acho bem! Se Portugal é dos países europeus com mais telemóveis por habitante, há que pedir licença a quem os faz! Alias, a Finlândia até podia dar a sua parte em telemóveis que alguma malta agradecia. Eram mais uns quantos nokias que vinham para cá!

Porém, como o pagamento em telemóveis não resolve o problema da divida portuguesa, a Câmara Municipal de Cascais decidiu fazer um vídeo, com cerca de 7m, a apresentar alguns factos da história e da cultura de Portugal aos Finlandeses. Afirmando no fim que Portugal nos anos quarenta recolheu alimentos e roupas para um pais pobre e periférico que era a Finlândia. O vídeo pode ser visto no Youtube.

Iniciativa inovadora e interessante, que como Raquel Abecasis afirmou num comentário na R.R. “num fim-de-semana, o município de Cascais fez mais pelo orgulho nacional e pela mobilização dos portugueses do que meses a fio de promessas, programas e discursos propagandísticos de um Primeiro-ministro que enche a boca a dizer que quer puxar pela energia dos portugueses”. Porém o vídeo motivou já uma curiosa resposta de um grupo de finlandeses que pode ser vista n Youtube.

A pergunta que me surge neste momento é a seguinte: Será que a Europa está verdadeiramente unida? A verdadeira união não está na partilha da vida social, nem na luta contra um inimigo comum, nem na opinião acerca de alguém ou de alguma crença. A verdadeira e sincera união e amizade está na partilha das dificuldades do outro! Na luta e no desejo para que o outro, por muito distante e diferente que seja tenha pelo menos as mesmas condições de vida que eu tenho. Esta Europa antes de ser uma verdadeira união, ainda é uma luta por interessantes! Alguns interesses são comuns! Mas falta muito para sermos uma verdadeira comunidade!

Miguel Neto

O autor deste artigo não o escreveu ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Pub