Pub

"A aprovação do plano pode ser uma morte anunciada na medida mais estratégica para Faro: a retirada da linha férrea da frente ribeirinha", refere o líder do grupo e antigo presidente da Câmara de Faro, José Vitorino, em comunicado.

O Plano de Urbanização do Vale da Amoreira foi aprovado na passada semana em Assembleia Municipal e inclui a construção de um empreendimento residencial e comercial e do maior parque verde de Faro.

O plano abrange uma área de mais de 50 hectares, situada junto a uma das mais movimentadas entradas na cidade – a Estrada de São Brás de Alportel -, com acesso direto à Via Infante (A22) e ao Aeroporto de Faro.

Segundo José Vitorino, o plano, aprovado "irresponsavelmente" pelo PSD, CDS e PS, pode implicar "um dos maiores atentados da história contra Faro" ao ocupar terrenos onde no PDM "estava previsto passar a variante ferroviária" desde 1995.

Para o ex-autarca, o avanço deste empreendimento é também um "cadafalso" para o pequeno comércio e restauração, sendo as contrapartidas para a Câmara, embora "positivas", admite, um conjunto de "presentes envenenados".

Promovido pelo Fundo de Investimento Imobiliário Fechado (Imogharb) em colaboração com a autarquia o plano inclui a construção do empreendimento "Amoreira Faro", que deverá ter áreas residenciais, comerciais e um parque de exposições.

Os promotores do "Amoreira Faro" estimam que a operação de loteamento do empreendimento esteja concluída até ao final do ano para que a sua construção possa arrancar no início de 2012, referem hoje em comunicado.

Lusa
Pub