Pub

Vivemos num mundo onde tudo é veloz e instantâneo. Basta olhar para esta minha coluna quinzenal. Tento sempre falar de algo atual, no entanto, qualquer tema que seja novidade no momento em que escrevo estas linhas, deixa de ser falado quando o leitor as está a ler.

Perante esta circunstância que envolve não apenas a comunicação social, mas toda a vida moderna, existem duas posturas que podemos ter: ou esquecemos esta rapidez do momento e caminhamos à nossa velocidade, estando desenquadrados do mundo que nos rodeia e de todas as circunstâncias da vida atual, mas pensando convictamente que estamos certos e que todos os outros estão errados; ou pegamos nos nossos valores e ideais e caminhamos à mesma velocidade, mostrando a todo o mundo que aquilo em que acreditamos e pelo qual estamos dispostos a dar a vida, tem uma contemporaneidade incessante.

Eu já escolhi o caminho! Não adianta remar contra esta forte maré. Adianta, sim, aproveitar a força da onda, a velocidade do vento, qual barco vogando seguro, para um destino previamente traçado. É preciso tirar partido das vantagens proporcionadas pela velocidade instantânea e contornar, como um navegador experiente, os obstáculos e promontórios que sabemos existirem para quem se faz ao mar. Assim, poderemos, no mundo presente, mostrar o Amor. Há que aproveitar todas as janelas que se nos abram para falamos de Jesus Cristo! As nossas comunicações, os nossos posts no facebook e os nossos twittes podem ser um meio de conversão a Deus, um meio para mostrarmos que a Igreja está viva e atua através dos canais que Deus fez surgir através da capacidade criativa do Homem. Se o mundo só liga à emoção e não há reflexão, há que anunciar a verdade do Evangelho com emoção e com total paixão, a paixão verdadeira e profunda que a Palavra de Deus nos suscita. Temos de ser missionários nesta era da velocidade instantânea, que acontece na internet, nas redes sociais, na comunicação social, enfim, no mundo comunicacional de hoje!

Pe. Miguel Neto

Pub