Pub

Muitas figuras vão continuar a preparação para a dura época velocipédica no alcatrão luso além do quinto atleta de sempre – único em actividade – a vencer as três grandes corridas de estrada ("Tour", "Giro" e "Vuelta") e que defende a camisola amarela conquistada há um ano na sua estreia na "Algarvia".

O principal objetivo do corredor madrileno de 27 anos, também muito forte no contrarrelógio, é o terceiro título na Volta a França, após conquistas em 2007 e 2009, e nada como começar 2010 com êxito semelhante ao do ano passado sob o sol português.

Na "roda" do espanhol estarão antigos colegas de equipa, entretanto contratados para a RadioShack, nova estrutura do veterano norte-americano Lance Armstrong, recordista de vitórias no "Tour" (sete), também ex-companheiro de Contador e agora seu arquirrival.

O norte-americano Levi Leipheimer, com pódios na "Vuelta" e na "Grande Boucle", e o alemão Andreas Kloeden, também já vice-campeão do "Tour", perfilam-se como "sombras" de Contador numa nova equipa que será dirigida na prova pelo antigo corredor português José Azevedo, agora diretor desportivo.

O espanhol e campeão olímpico Samuel Sanchez (Euskaltel-Euskadi), o seu compatriota Luis Leon Sanchez (Caisse d’Epargne), vencedor da Paris-Nice2009, ou o norte-americano Christian Vandevelde (Garmin), sempre entre os oito primeiros nos dois últimos "Tours", são homens para estar sempre no grupo da frente.

Nos mais de 700 quilómetros a percorrer nas cinco etapas, a classificação deve definir-se na terceira e quinta tiradas, respetivamente uma subida final para o Alto do Malhão (prémio da montanha de segunda categoria) e um "crono" individual de 17 quilómetros até Portimão.

Os outros três dias devem proporcionar emoções na reta da meta por parte dos numerosos especialistas presentes, com massas musculares aptas a dar o tudo por tudo nos metros finais em Albufeira, Lagos e Tavira.

O norueguês Thor Hushovd (Cervelo), duas vezes camisola verde (pontos) do "Tour", o belga Gert Steegmans (RadioShack), já com três vitórias em etapas da "Algarvia", o veterano australiano Robbie McEwen (Katusha), os austríacos Bernhard Heysel e Andre Greipel (Columbia), recém-vencedor do Tour Down Under, ou o português Manuel Cardoso (Footon), campeão nacional de fundo, são apenas alguns dos animadores de serviço.

Para lá do "Mustang” de Paços de Ferreira, que em estreia no ProTour ganhou a terceira etapa do Tour Down Under, os emigrantes portugueses estão representados por Rui Costa (Caísse d’Epargne), vencedor dos Quatro Dias de Dunquerque2009 e do recente Troféu Déia (Maiorca), o experiente Sérgio Paulinho e o jovem Tiago Machado (RadioShack), bem como o vice-campeão do Mundo de contrarrelógio Sub-23, Nelson Oliveira (Xacobeo-Galicia).

Ao todo, são 23 equipas de nove países, 12 do ProTour, o primeiro escalão da União Ciclista Internacional (UCI), cinco da segunda divisão (Continental Profissional) e seis da terceira categoria (Continental).

As cinco "sobreviventes" portuguesas pertencem à terceira categoria, numa das temporadas em que o pelotão luso tem dos menores contingentes de sempre (56 inscritos), devido à crise económica e aos problemas com doping, quase sugerindo que as corridas nacionais se disputem numa só faixa de rodagem.

Lusa

Pub