Pub

O objetivo do projeto é permitir que os cidadãos das duas localidades possam usufruir de serviços e equipamentos existentes do outro lado da fronteira, como serviços de saúde ou escolas de formação profissional, mas também pode servir para criar uma zona turística comum, afirmou o autarca Luís Gomes.

O presidente da Câmara explicou à agência Lusa que o trabalho de criação da eurocidade Vila Real de Santo António/Ayamonte está a ser feito no quadro da cooperação desenvolvida pela Eurorregião Algarve-Andaluzia-Alentejo e foi proposta pela presidência rotativa da mesma, atualmente a cargo da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Algarve.

“O objetivo é estabelecer um conjunto de políticas intermunicipais que permitam que haja complementaridade e reforço da qualidade de vida das pessoas, através da partilha, por exemplo, de alguns equipamentos ou de estratégias conjuntas nos mais diversos setores”, acrescentou o autarca.

Luís Gomes considerou que a partilha de equipamento “faz sentido equacionar”, porque significa a “partilha das redes existentes em cada um dos sítios, ficando todos melhor servidos”.

“Os jovens de Ayamonte podem, por exemplo, frequentar a Escola de hoteleira de Vila Real de Santo António e os cidadãos de Vila Real de Santo António podem, se houver uma melhor resposta na área da saúde, frequentar os serviços de saúde do outro lado da fronteira”, acrescentou.

O autarca disse que são este tipo de iniciativas que os dois municípios e os técnicos da CCDR Algarve estão a “procurar implementar” para que se “possa assinar um pacto de constituição da eurocidade no próximo mês de janeiro”.

Lusa
Pub