Pub

Irão participar no 41º Encontro Europeu de jovens animado pela comunidade de Taizé, que hoje tem início em Madrid (Espanha) e se prolonga até dia 1 de janeiro, 43 algarvios.

O grupo, com alguns adultos que partiu do Algarve na última noite, é composto por elementos da comunidade de São Paulo (Patacão) da paróquia de São Pedro de Faro, da paróquia de São Luís da mesma cidade, da paróquia das Ferreiras e da paróquia de Estômbar.

Madrid acolhe, pela primeira vez, o Encontro Europeu de Taizé que tem como tema, proposto num texto do irmão Alois, prior daquela Comunidade Ecuménica do Sul da França, publicado para a ocasião, “Não esqueçamos a hospitalidade”.

Esta vai ser a quarta cidade espanhola a receber a espiritualidade da comunidade monástica francesa depois de Barcelona, Santiago de Compostela e Valência.

O Encontro Europeu de jovens de Taizé, que já passou por Lisboa, reunirá milhares de participantes de vários países, incluindo Portugal, estimando-se a participação lusa em cerca de 600 elementos.

O papa Francisco enviou uma mensagem aos participantes, na qual recorda o Sínodo dos Bispos que decorreu em outubro, no Vaticano, sobre a relação entre a Igreja e as novas gerações, pedindo a todos que façam crescer a “cultura do encontro”, no respeito pelas diferenças.

O texto destaca a importância do tema escolhido, a hospitalidade, num mundo “ferido”, que convida a ir ao encontro “dos que são descartados, rejeitados ou excluídos, dos pequenos e dos pobres”.

“É possível viver uma hospitalidade generosa, aprender a ver nas diferenças alheias uma riqueza para si e fazer frutificar os próprios talentos, para ser construtores de pontes entre Igrejas, religiões e povos”, assinala a mensagem pontifícia, divulgada pela comunidade de Taizé e enviada através do secretário de Estado do Vaticano.

O português António Guterres, secretário-geral da ONU, evoca, por sua vez, os encontros em que participou, na sua juventude, elogiando o “espírito ecuménico” destas iniciativas.
“Reunis-vos num tempo de desafios e de incertezas, perante as alterações climáticas, os conflitos, as desigualdades crescentes e a intolerância que aumenta. Mas esta é também uma era de oportunidades”, escreve o responsável.

O secretário-geral das Nações Unidas diz contar com os jovens para que o mundo possa avançar nos “objetivos comuns da paz, do desenvolvimento sustentável e no respeito pelos direitos da pessoa”.

Um dos momentos marcantes do encontro será a passagem de ano, num programa que inclui um piquenique partilhado e distribuição de chá quente; a oração comunitária nas igrejas do centro da cidade; e uma vigília de oração pela paz no mundo, seguida por uma “festa dos povos” na paróquia de acolhimento dos vários participantes.

A Comunidade Ecuménica de Taizé foi fundada em 1940, em plena Segunda Guerra Mundial, pelo falecido irmão Roger Schutz com o propósito de “reunir homens que sentissem a necessidade de juntos fazerem comunhão e viverem em paz uma vida simples, partilhando o trabalho e as reflexões das Sagradas Escrituras, caminhando em comunidade à descoberta de Deus revelado aos homens por Jesus Cristo”. Hoje é constituída por mais de 100 irmãos, de várias nacionalidades e igrejas cristãs, incluindo a católica, recebendo semanalmente a visita de milhares de jovens.

A ligação do Algarve à Comunidade Ecuménica de Taizé remonta à realização do Concílio de Jovens que ali teve lugar na década de 70 do século passado. As peregrinações do Algarve à comunidade monástica tiveram início desde então e todos os anos há grupos a passar alguns dias em Taizé.

O Algarve acolheu também no início deste ano uma “Pequena Fraternidade Provisória” de Taizé, constituída por três jovens alemãs, que vieram realizar trabalho pastoral e social.

com Ecclesia

Pub