Pub

Trata-se da primeira etapa no percurso para o diaconado permanente. A sua caminhada deverá levá-lo a ser posteriormente instituído acólito e mais tarde ordenado diácono, o primeiro grau do sacramento da Ordem.

Antes da homilia, foi apresentado ao Bispo do Algarve o eleito ao ministério de leitor e depois da intervenção de D. Manuel Quintas, foram então celebrados os ritos da instituição, tendo a assembleia presente sido convidada a orar pelo Albino Martins. Sobre o candidato a leitor foi feita uma oração de bênção pelo presidente da celebração e seguidamente foi-lhe entregue o livro da Sagrada Escritura. A instituição no ministério de leitor é assinalada, simbolicamente, com esta entrega, por parte do prelado, do livro da Palavra de Deus que o leitor proclamará na assembleia dos fiéis.

Esta instituição consiste na capacitação para proclamar, solenemente, a Palavra de Deus na comunidade cristã. Com esta celebração solene, o Bispo do Algarve confirmou o Albino Martins, natural de Vila Real de Santo António, num serviço cada vez maior para com a Igreja local.

Na sua homilia, D. Manuel Quintas começou por lembrar que aquela instituição é uma “oportunidade” para a consciencialização da “importância da Palavra de Deus” na vida pessoal de cada cristão e da comunidade eclesial.

O Bispo diocesano explicou ainda o sentido daquela instituição. “A instituição neste ministério tem a ver com a ordenação a diácono permanente para que o Albino se prepara. Todos os que são ordenados diáconos, seja de modo permanente seja em trânsito para o sacerdócio, devem ser instituídos em dois ministérios: o dos leitores, ligado à Palavra de Deus, e o dos acólitos, ligado à Eucaristia”, salientou D. Manuel Quintas, sublinhando a importância de esta caminhada ser “um percurso que prepara os que vão ser ordenados, para assumirem de modo mais consciente o significado e o sentido da Eucaristia, não só na sua vida da comunidade, mas na sua vida pessoal”.

Por outro lado, o Bispo do Algarve destacou ainda que aquela instituição “pretende realçar a importância que a Igreja dá à proclamação da Palavra de Deus”, frisando “como é fundamental proclamá-la bem, para que possa ser escutada não só com os ouvidos, mas com o coração”.

No final da celebração, que contou também com a presença do pároco local, o padre Dinis Faísca, do padre João Paulo Domingues, reitor do Seminário de Beja e responsável pela formação do grupo em preparação para o diaconado permanente no qual se inseriu o Albino Martins, e de 4 dos 7 diáconos permanentes da Diocese do Algarve (6 casados e 1 consagrado), uma representante da paróquia de Cachopo destacou a “vida de dedicação e entrega” do Albino Martins que “certamente tornou este mundo melhor”. “Pela boca de D. Manuel Madureira Dias, Deus falou ao Albino e este deixou-se seduzir e transformar. O seu modo de viver a fé, testemunhando e tornando presente o amor de Deus pelos homens, é sem dúvida um exemplo para as nossas vidas”, reconheceu a leitora.

Samuel Mendonça

Pub