Pub
Foto © Filipe Farinha/Lusa
Foto © Filipe Farinha/Lusa

A 23.ª edição da Algarve Cup arrancou ontem com a seleção portuguesa feminina a entrar mal na prova tendo perdido com a Rússia, por 1-0, em jogo da primeira jornada do Grupo B, disputado em Albufeira.

A seleção nacional volta a medir forças com as melhores equipas mundiais, incluindo o Brasil (com quem jogará já amanhã), numa prova que terá garantidamente um inédito vencedor.

O selecionador português de futebol feminino disse na terça-feira que a participação de Portugal na prova “irá servir para avaliar e reforçar a equipa” para a fase de apuramento do campeonato da Europa. “Vamos disputar quatro jogos com algumas das melhores seleções, e é uma oportunidade para avaliar o estado e evolução da equipa para o apuramento do Europeu”, disse Francisco Neto, em conferência de imprensa realizada em Albufeira.

Para o selecionador de futebol feminino, a prova algarvia “é extremamente importante para aprender e tentar solucionar o máximo de problemas” com que Portugal se vai confrontar durante os jogos de apuramento para o Campeonato da Europa. “Sentimos que só defrontando os melhores é que podemos evoluir, para termos capacidade de reduzir e resolver alguns problemas”, frisou Francisco Neto, acrescentado que “a equipa cresceu e, desde há dois anos, tem vindo a reduzir a diferença de qualidade de jogo para as equipas de topo”.

De acordo com Francisco Neto, Portugal apresenta-se com as mesmas expetativas de outros anos: “Trabalhar, aprendermos e crescermos para reduzir a diferença do nosso futebol para as equipas de top mundial”. “Temos tido cada vez mais um comportamento mais próximo das melhores equipas mundiais, e nesta competição vamos procurar bons resultados em todos os jogos”, frisou o selecionador, indicando que Portugal “tem capacidade para criar problemas aos adversários do grupo”.

Com as ausências de Estados Unidos, que levantou o troféu algarvio uma dezena de vezes, a última no ano passado, Alemanha, Suécia, Noruega e China, é certo que uma das oito seleções participantes vai conquistar pela primeira vez o torneio, em que Portugal volta a ser a seleção com ranking mais baixo (40.º).

Para além da Rússia, 22.ª no ranking mundial, e Brasil, naquele que é o duelo mais esperado da prova, a formação lusa vai ter pela frente a Nova Zelândia, 16.ª da hierarquia.

A seleção ‘canarinha’, sétima do ranking, aparece no Algarve como a principal candidata ao triunfo final e terá como principal figura Marta, uma das maiores figuras do futebol feminino mundial e cinco vezes vencedora do prémio FIFA.

Ontem, no primeiro jogo da seleção nacional, Daria Makarenko marcou aos 58 minutos o único golo da partida, no qual as russas ainda desperdiçaram uma grande penalidade, aos 88.

A Algarve Cup termina no dia 09 de março com a final, em local e hora ainda a anunciar, e mais três jogos, que vão definir a classificação de cada seleção.

com Lusa

Pub