Breves
Inicio | Cultura | Ana Moura, Rodrigo Leão e Mayra Andrade abrem cartaz do Festival MED em Loulé

Ana Moura, Rodrigo Leão e Mayra Andrade abrem cartaz do Festival MED em Loulé

Foto © Mira/CML

Ana Moura, Rodrigo Leão e a cabo-verdiana Mayra Andrade são alguns dos nomes que integram o cartaz da 14.ª edição do Festival MED, entre 250 músicos oriundos de várias partes do mundo, revelou na sexta-feira a autarquia.

O festival, que decorre na zona histórica de Loulé de 29 de junho a 02 de julho, vai apresentar nos seus oito palcos 55 bandas de 20 nacionalidades diferentes, num total de 75 horas de música, adiantou a Câmara de Loulé em comunicado.

Fábia Rebordão, Marta Ren, Throes + The Shine, Rachid Taha (Argélia), Fanfare Ciocarlia (Roménia), BNegão (Brasil), Tout-Puissant Orchestre Poly-Rythmo de Cotonou (Benin), Canzoniere Grecanico Salentino (Itália) e Akua Naru (Estados Unidos) também vão atuar na edição deste ano do festival.

Os primeiros 12 nomes a integrarem o cartaz do Festival MED foram anunciados na quinta-feira pela Câmara Municipal de Loulé, que promoveu o evento, na Bolsa de Turismo de Lisboa.

Segundo a organização, vão atuar pela primeira vez em Portugal os Tout-Puissant Orchestre Poly-Rythmo de Cotonou, do Benin, uma banda africana da década de 1960 relançada em 2009 e que junta o ‘afrobeat’, o funk e o ‘soukous’.

O brasileiro BNegão, que se tornou conhecido como vocalista da banda de rap Planet Hemp, vai apresentar uma fusão de hip-hop, rap, reggae, rock e funk brasileiro, aliado a letras com uma forte crítica social.

Os ritmos balcânicos regressam também ao Festival MED com a banda romena Fanfare Ciocarlia, fanfarra que assinala 20 anos de carreira e que ficou conhecida pelas suas reinterpretações de “Born to be Wild”, “Summertime” ou do tema do filme “James Bond”.

O franco-argelino Rachid Taha vai apresentar em Loulé a música tradicional da Argélia, ‘rai’, misturada com outros géneros, como o rock, a música eletrónica ou indie.

Já a Itália vai estar representada nesta edição do Festival MED com a Canzoniere Grecanico Salentino, grupo de folclore tradicional de Salento, que interpretam uma abordagem contemporânea ao estilo musical característico do sul de Itália, a ‘pizzica’.

No cartaz marcam presença ainda a norte-americana Akua Naru, associada ao movimento hip-hop da década de 1990, os luso-angolanos Throes + The Shine, praticantes de uma fusão de rock e kuduro, e a cabo-verdiana Mayra Andrade.

Entre os nomes dos artistas portugueses já revelados, contam-se as fadistas Ana Moura e Fábia Rebordão, a cantora de soul e funk Marta Ren, antiga vocalista dos Sloppy Joe, e o músico e compositor Rodrigo Leão.

Ao longo de 13 anos, já passaram pelo Festival MED um total de 450 bandas, de 41 países.

Verifique também

Orquestra Metropolitana de Lisboa estreia obra de Sérgio Azevedo no Pavilão do Arade

A Orquestra Metropolitana de Lisboa (OML), sob a direção do maestro Pedro Neves, estreia hoje, …