Pub

O empresário e antigo militante socialista Afonso Nascimento vai candidatar-se à presidência da Câmara de Vila do Bispo pelo Juntos pela Mudança, movimento independente composto maioritariamente por dissidentes do PS, apoiado pelo PSD e CDS-PP.

O Movimento Juntos pela Mudança integra vários antigos militantes socialistas que se demitiram “em bloco” e se desfiliaram do partido em janeiro deste ano, por discordarem das estruturas regional e nacional do PS ao escolheram Adelino Soares como candidato a um terceiro mandato à presidência do município.

O clima de tensão entre a concelhia do PS/Vila do Bispo e o presidente da Câmara durava praticamente desde o início do presente mandato, tendo a estrutura local acusado Adelino Soares de “prepotência e falta de diálogo”, retirando-lhe a confiança política.

Afonso Nascimento, de 43 anos, empresário do setor turístico, defende que a sua candidatura é “uma lufada de ar fresco e a melhor solução para Vila do Bispo, de forma a inverter a tendência “de abandono a que o concelho está votado”.

“A maior marca do atual executivo, é o total abandono do concelho, além de uma péssima gestão de prioridades e de recursos financeiros”, sublinhou, acrescentando que “a primazia vai para a concretização de obras estruturantes, ao invés da promessa de grandes projetos que nunca saem dos programas eleitorais”.

Segundo o candidato, o novo desafio de liderar uma lista com pessoas de todas as ideologias políticas “é um projeto diferente do até agora visto em Vila do Bispo – uma equipa que vale pelo seu todo e não apenas pelo cabeça de lista”.

O presidente demissionário da concelhia dos socialistas e atual presidente da Assembleia Municipal, eleito em 2013 pelo PS, recandidata-se ao cargo pelo Movimento Juntos pela Mudança.

Afonso Nascimento vai disputar a presidência da Câmara de Vila do Bispo, com Adelino Soares (PS), presidente da autarquia e que se recandidata ao terceiro e último mandato, Paula Vilallonga (CDU) e Sebastião Pernes (BE).

Nas eleições autárquicas de 2013, o PS obteve a maioria absoluta com 58,14% dos votos (três mandatos) e o PSD alcançou 33,59% (dois mandatos). O PCP/PEV obteve 4,21% dos votos e não elegeu qualquer mandato.

No Algarve, o PS lidera 10 dos 16 concelhos do distrito de Faro, sendo cinco liderados pelo PSD e um pela CDU.

Pub