Pub

O advogado Jorge Loureiro é o candidato da coligação CDS-MPT-PPM à Câmara de Albufeira nas eleições autárquicas de 01 de outubro, com o lema “Albufeira merece melhor”.

A candidatura à autarquia algarvia, uma das 16 do Algarve, prevê intervir em várias áreas, como a educação, a saúde, os transportes, o turismo, o emprego ou o apoio social, segundo as linhas programáticas anunciadas pelo partido.

Para a educação, o candidato quer traçar um Plano Estratégico Educativo Municipal para “promover o investimento e a manutenção dos equipamentos e espaços escolares” e “alargar a rede pré-escolar, com adoção de horários específicos que permitam aos pais trabalharem tranquilamente e às crianças momentos de bem-estar em segurança”.

O aumento e a permanência de médicos no Centro de Saúde de Albufeira é o grande objetivo da coligação que junta o CDS-PP ao MPT e ao PPM, que quer também incrementar os itinerários do giro dos transportes públicos em todas as freguesias do concelho.

“No turismo, materializar o equilíbrio tripartido de interesses entre empresários de estabelecimentos hoteleiros, proprietários de bares e comerciantes” é apontado como a linha de ação a seguir, de forma a permitir “dinamizar a economia do concelho”, mas também “regular o horário de funcionamento e permitir o descanso das pessoas”, segundo as linhas programáticas da coligação.

A candidatura de Jorge Loureiro avança ainda com ideias para a ação social, considerando que a Câmara deve “assumir os desígnios humanos de apoio social aos mais desfavorecidos”.

A coligação defende também a “revisão e agilização de procedimentos administrativos e delegações de competências” nos serviços municipais, para promover “a aceleração da tramitação dos processos e a obtenção de respostas mais céleres face aos pedidos e pretensões dos munícipes”, assim como a criação de um “crédito de horas anual para todos os funcionários”.

Além de Jorge Loureiro, são também candidatos à presidência da Câmara de Albufeira a independente Sandra da Costa (BE), Manuela Jorge (CDU), Isabel Machadinho (PAN), Ricardo Clemente (PS) e o atual presidente da autarquia, Carlos Silva e Sousa (PSD).

A independente Ana Vidigal, que já se anunciara como candidata pelo movimento Vontade Independente Viver Albufeira (VIVA), aguarda ainda uma resposta do tribunal à contestação da rejeição da sua candidatura.

O PSD detém em Albufeira três dos sete mandatos, enquanto o PS tem outros três e a lista independente encabeçada por Ana Vidigal conta com um.

Os sociais-democratas lideram a Câmara de Albufeira há 16 anos, desde 2001, o que sucedeu após um ciclo de cinco mandatos consecutivos do Partido Socialista, entre 1982 e 1997.

Pub