Pub

Abriu hoje, 15 de setembro, as portas a Barbearia Social da Cáritas da Matriz de Portimão, vocacionada para elevar a autoestima dos mais carenciados e cujo projeto venceu no ano passado a primeira edição do Prémio Municipal de Voluntariado.

O novo espaço funciona às terças-feiras entre as 15h00 e as 17h00 nas instalações da Cáritas Paroquial da matriz de Portimão, localizadas na Rua Diogo Gonçalves, com o principal objetivo de fomentar a integração social dos menos favorecidos através da mudança de visual, procurando ajudar na sua integração no mercado de trabalho.

A Barbearia Social destina-se a pessoas com necessidades e a sem-abrigo, a custo zero, devendo os utilizadores estar inscritos na Cáritas ou noutra instituição sem fins lucrativos da Rede de Emergência Social de Portimão.

Na inauguração das instalações, ocorrida na tarde do passado dia 10 deste mês, a presidente da Câmara de Portimão, Isilda Gomes, sublinhou que “esta é a concretização de um desafio lançado pela autarquia ao movimento social, que é extremamente dinâmico”, “para apresentar propostas de melhoria de prestação de cuidados e serviços à comunidade, sobretudo aos mais carenciados”, referindo-se ao Prémio Municipal de Voluntariado.

“Ninguém pode ter autoestima se não gostar de si próprio e, se isso se verifica, perde-se o gosto pela vida e deixa-se de lutar. Temos obrigação de abrir portas às pessoas mais desfavorecidas, indicando caminhos e propiciando estes serviços fundamentais”, justificou a autarca, ao dizer que “esta barbearia vai com certeza alimentar a autoestima dos concidadãos, sendo nossa obrigação ajudá-los a reconquistá-la.”

Isilda Gomes elogiou o trabalho social da Cáritas, “pelo seu inestimável contributo para a comunidade, principalmente nos dias que correm, de grandes dificuldades para todos, mas sobretudo para os mais vulneráveis”. “Temos que estar atentos às situações mais complicadas, por forma a ajudar quem precisa a ultrapassar esta fase, pelo menos com o mínimo de dignidade, um direito que é de todos”, defendeu.

A autarca enalteceu o papel do movimento social, “que tem o dom de multiplicar o dinheiro que lhe é atribuído, não se limitando a gastá-lo, uma vez que conta com muitos voluntários. Se os 5 mil euros do prémio serviram para a aquisição de material e para as instalações da barbearia, certo é que o voluntariado fará o resto e essa pequena verba da autarquia será exponencialmente multiplicada”, afirmou a presidente.

O projeto tem como colaborador o jovem barbeiro Bruno Santos. Nascido em Portimão há 39 anos, foi na cidade natal que tirou o curso de barbeiro em 2019 e, uma vez que a mãe é voluntária na Cáritas, decidiu também ele prestar o seu contributo à comunidade, a título gracioso.

Numa primeira fase, o voluntário barbeiro vai reservar duas horas por semana para servir a comunidade. “As pessoas fazem marcação prévia através dos serviços da Cáritas e eu cá estarei, com todo o gosto, contribuindo para melhorar o seu visual, a ver se têm mais possibilidade de conseguirem um trabalho. Quem sabe…?”, afirmou.

A trabalhar numa barbearia da cidade, o voluntário explica: “Basicamente, o meu desejo é ajudar quem precisa com algum do meu tempo livre e com aquilo que sei. É a maneira que encontrei de me tornar útil à sociedade que fez de mim quem sou. Isto, no fundo, não custa nada, desde que haja boa vontade, porque quem corre por gosto não cansa.”

Na ocasião, Isilda Gomes abordou a crise social originada com a atual pandemia, recordando que o Município de Portimão “concedeu um apoio a título extraordinário”, designado como ‘contratos covid’, “principalmente para apoiar as instituições que fornecem alimentação à população mais carenciada”.

E deixou uma garantia: “Quando este apoio acabar, estaremos disponíveis para o reforçar, pois quero fome zero neste concelho. Não há razão nenhuma para que haja gente a passar fome em Portimão.”

Ao agradecer a “inestimável contribuição autárquica”, a presidente da Cáritas Paroquial de Portimão, Maria Manuela Santos, confessou a sua apreensão perante os próximos meses, dando como exemplo o facto de “neste momento a instituição já apoiar 397 famílias, com perto de 900 pessoas, quando em fevereiro passado havia apenas 187 famílias beneficiadas.”

Com cerca de 90 voluntários, dos 8 aos 80 anos, a Cáritas de Portimão tem diversas valências, entre as quais os bancos de alimentos e de roupas, bem como o refeitório social, que fornece 60 refeições diárias, de segunda a sexta-feira. Para além disso, conta com a Loja Social, onde vários bens doados à instituição são colocados a venda, revertendo as receitas para despesas de manutenção.

A Barbearia Social vem completar as respostas sociais da Cáritas de Portimão, que atualmente – a par com outras instituições de solidariedade – tem um papel importante na ajuda à população mais desfavorecida.

Pub