Pub

“Os abusos sexuais de menores perpetrados por líderes religiosos são criminosos, vergonhosos e inaceitáveis pecados mortais”, referiu aos jornal «La Repubblica».

Segundo o Cardeal Kasper estes são actos “atrozes e imperdoáveis que devem ser punidos com absoluta firmeza”.

Na entrevista, o Cardeal Kasper dá conta de uma carta pastoral que o Papa irá dirigir à Igreja na Irlanda, mas sugere que esta missiva pode ser estendida a toda a Igreja.

“O problema não apareceu apenas na Irlanda, mas também a Holanda, Alemanha e os Estados Unidos merecem uma análise mais ampla sobre, talvez, a Igreja universal, não um só país” disse o cardeal, acrescentando que era “o Santo Padre para decidir”.

O escândalo de pedofilia que envolvia o clero da Irlanda, veio a público no final de 2009. Recentemente, foram feitas algumas revelações de abuso sexual numa escola católica na Alemanha, que incluía os cantores de um coro, «Pequenos Regensburg» (Baviera), dirigida entre 1964 e 1994 pelo irmão do Papa, Mons. Georg Ratzinger.

A direcção da escola católica alemã afirma está a investigar as acusações de abusos sexuais que podem ter ocorrido há várias décadas, segundo a imprensa alemã noticiou. Uma pessoa terá contactado um jornal alemão afirmando ter sofrido abusos sexuais na escola na década de 60.

O irmão de Joseph Ratzinger afirmou a uma rádio não ter conhecimento de qualquer situação enquanto foi director do coro e não está envolvido no escandâlo.

Ecclesia

Pub