Inicio | Educação | Chefe José Cercas Vicente recebeu a mais alta condecoração do Corpo Nacional de Escutas

Chefe José Cercas Vicente recebeu a mais alta condecoração do Corpo Nacional de Escutas

Tomada_posse_junta_regional_algarve_2019-48
Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

O chefe José Cercas Vicente do Corpo Nacional de Escutas (CNE) foi distinguido no passado domingo com a mais alta condecoração daquele movimento: o colar de Nuno Álvares.

Tomada_posse_junta_regional_algarve_2019-51
Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Ovacionado com uma prolongada salva de palmas, o dirigente, que agora concluiu o último mandato como chefe regional do CNE, recebeu a condecoração das mãos do chefe nacional do CNE, Ivo Faria, que lhe impôs a insígnia durante a cerimónia de tomada de posse da nova Junta Regional e do novo Conselho Fiscal e Jurisdicional do Algarve.

Na atribuição da condecoração, “que se destina a premiar os serviços extraordinários excecionalmente relevantes perante o movimento escutista”, a Junta Central do CNE destacou que “existem dirigentes que ultrapassam em forma, frequência e intensidade o que lhes é exigido pela sua promessa” e considerou que o Algarve “ficará eternamente a dever” ao condecorado os “benevolentes e extraordinários serviços em prol do escutismo nesta região”.

Tomada_posse_junta_regional_algarve_2019-55
Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

A estrutura central do movimento destacou ainda que o chefe Cercas Vicente “serviu a Junta de Regional do Algarve, exercendo os mais diversos cargos”, tendo recebido sempre, “graças à sua total disponibilidade e sentido de colaboração”, “o apoio e o carinho de toda a região”. “À frente da Junta Regional do Algarve conseguiu pacificar aqueles que se sentiam desmotivados com o escutismo na região e uniu esforços no sentido de prestar um melhor escutismo às crianças e jovens do Algarve. Aos poucos, graças ao seu sentido de serviço, ganhou a confiança e a cooperação dos agrupamentos, tendo a região crescido em efetivo e em número de agrupamentos”, destacou-se ainda na homenagem, acrescentando que “o chefe Cercas continuou sempre a revelar grande dedicação, empenho e espírito de sacrifício, mostrando-se sempre alerta para servir”, “participando em todas as atividades regionais, reuniões de dirigentes, visitas aos agrupamentos e muitas outras solicitações”.

Tomada_posse_junta_regional_algarve_2019-56
Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo
Tomada_posse_junta_regional_algarve_2019-57
Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

O bispo do Algarve que também esteve presente na cerimónia que decorreu nas instalações da paróquia das Ferreiras, considerou a condecoração “mais do que merecida”. “Tenho que manifestar o meu reconhecimento por estes nove anos muito significativos para o CNE no Algarve”, afirmou D. Manuel Quintas, constatando que “o CNE não para de crescer”.

Tomada_posse_junta_regional_algarve_2019-58
Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Apresentando uma retrospetiva da sua caminhada escutista, o homenageado lembrou que ingressou no movimento a 11 de novembro de 1962 e fez a sua promessa de dirigente a 21 de setembro de 1971, com apenas 18 anos. Esteve 40 anos ao serviço do Agrupamento 159 de Portimão, incluindo vários como chefe do agrupamento a partir de 5 de janeiro de 1974. A convite do recentemente falecido padre Domingos Fernandes – que fez questão de relembrar no início da sua intervenção – integrou o Agrupamento 1256 do Parchal, onde trabalhei durante cinco anos até integrar a Junta Regional, tendo iniciado em 2010 com aquele sacerdote, então assistente regional do movimento, a sua primeira candidatura a chefe regional.

De 18 de janeiro de 1986 a 30 de junho de 1991 foi secretário regional da I Secção, no dia 30 de junho de 1991 foi nomeado chefe de Departamento da III Secção e em 1995 foi nomeado secretário regional para a Proteção Civil. Foi vice-presidente do Conselho Fiscal Jurisdicional Regional e chefe do contingente do Algarve ao 19ºACANAC. Foi ainda presidente da Comissão Eleitoral e trabalhou durante 28 anos em Juntas Regionais, tendo nos últimos nove anos desempenhado o serviço de chefe regional. José Cercas Vicente garantiu que estes anos de serviço à região exigiram de si e das suas equipas “grande capacidade de entrega, dedicação e espírito de sacrifício”.

Recebeu uma medalha de heroísmo em 1987 pela coragem no combate a um violento incêndio, a Cruz de São Jorge de Segunda Classe, a Cruz de São Jorge de Primeira Classe e, em 2016, a Cruz de Mérito Monsenhor Avelino Gonçalves.

O Conselho Regional mandatou-o como chefe de campo do próximo acampamento regional a realizar na primeira semana de setembro.

Verifique também

Professores de EMRC das escolas algarvias reuniram-se para preparar o ano letivo (corrigida)

Vinte e um dos 25 professores da disciplina de Educação Moral e Religiosa Católica (EMRC) …

Folha do Domingo

GRÁTIS
BAIXAR