Inicio | Igreja | Dia Diocesano do Acólito reuniu cerca de 130 participantes em Albufeira

Dia Diocesano do Acólito reuniu cerca de 130 participantes em Albufeira

Dia_diocesano_acolito_2019-3
Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Cerca de 130 acólitos, na sua maioria jovens, de várias paróquias do Algarve participaram nos passados dias 10 e 11 deste mês no Dia Diocesano do Acólito em Albufeira.

A iniciativa, promovida pela Diocese do Algarve através do seu Centro Diocesano de Acólitos (CDA) em colaboração com o grupo de acólitos da paróquia de Albufeira, para além da paróquia anfitriã, contou com participantes das paróquias da Fuseta, Lagoa, Moncarapacho, Olhão, Parchal, Pechão, Pêra, Santa Maria de Lagos, São Bartolomeu de Messines, São Luís de Faro, São Sebastião de Lagos e Silves.

O encontro, sob o tema “Para vos testemunhar e servir”, teve início no Espaço Multiusos de Albufeira ao final da tarde com o acolhimento, onde pernoitaram, seguindo-se o jantar partilhado e a vigília de oração mariana no Santuário de Nossa Senhora da Orada.

“Porque é uma feliz coincidência, o encontro dos acólitos ser no enquadramento da Semana de Oração pelas Vocações – e muitas delas até brotaram do serviço ao altar, seja sacerdotes, seja religiosos – tivémos muito presente essa dimensão na vigília”, explicou ao Folha do Domingo o assistente do Centro Diocesano de Acólitos.

Dia_diocesano_acolito_2019-9
Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

O padre Carlos de Aquino acrescentou que se tratou de uma “celebração vocacional” com “apelo do evangelho” aos participantes para que sejam “sal e luz”, cultivando essas dimensões nas suas vidas. O sacerdote disse ainda que a celebração teve ainda presente na oração a acólita Laura Bragança, da paróquia de Estoi, falecida naquele dia em acidente de viação na Hungria, intenção que voltou a ser assinalada na eucaristia de encerramento. “Queremos neste momento e neste encontro fazer particular memória de uma acólita que não pode estar connosco a celebrar a Páscoa porque o Senhor, inesperadamente, a chamou a si” começou por referir o padre Carlos de Aquino. “Queremos acompanhar, particularmente, a sua família e a comunidade de Estoi, que não pôde fazer-se presente por esse motivo”, desenvolveu.

O padre Carlos de Aquino explicou que a temática da jornada deste ano, inspirada da Oração do Acólito, teve em conta o Ano Missionário (outubro 2018 a outubro 2019) que a Igreja portuguesa está a viver para valorizar a “dimensão de serviço ao altar”.

Por outro lado, o sacerdote realçou que o encontro “tão importante e significativo” sublinha sempre a “dimensão diocesana” que considerou “fundamental”. “Sabemos que pertencemos a esta Igreja. É sempre um encontro muito marcado pela alegria e pela esperança”, acrescentou, congratulando-se com o rejuvenescimento do grupo de acólitos. “Notamos que vão aparecendo, cada vez mais, miúdos novos, quer rapazes, quer raparigas, e isso é muito bom. É um serviço que se vai renovando também graças ao trabalho dos párocos nas suas comunidades”, observou.

No sábado de manhã, após a oração realizou-se um tempo de formação sobre a vida e a obra do beato Vicente de Santo António, mais conhecido como Vicente de Albufeira, o missionário algarvio de maior expressão que foi martirizado em Nagasáki, Japão, em 1632. A sua história, identidade e missão foi dada a conhecer na igreja de Santa Ana pelo cónego José Rosa Simão, antigo pároco de Albufeira, que tem realizado um trabalho de estudo e investigação sobre o beato.

Dia_diocesano_acolito_2019-12
Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

A manhã concluiu-se com um jogo de pistas pela cidade para aprofundar o conhecimento da missão de Vicente e, após o almoço partilhado, o dia terminou com a celebração da eucaristia, iniciada com o cortejo da igreja de Santa Ana para a igreja matriz com o andor do padroeiro dos acólitos, São Francisco Marto.

Dia_diocesano_acolito_2019-14
Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Na celebração, presidida pelo padre Flávio Martins, pároco local, o sacerdote, que celebrou naquele dia o 11º aniversário de ordenação sacerdotal, lembrou a sua ligação ao ministério do acolitado. “Sempre fui acólito e nunca sonhei algum dia presidir à eucaristia no Dia Diocesano dos Acólitos e menos ainda no dia do aniversário da minha ordenação sacerdotal”, afirmou.

Dia_diocesano_acolito_2019-15
Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

No final da eucaristia foi anunciado que o Dia Diocesano de Acólitos em 2020 será realizado nas paróquias da Conceição de Faro e de Pechão nos dias 1 e 2 de maio.

O acólito (termo de origem grega que significa “acompanhar” ou “seguir”) ajuda o clero católico no serviço do altar, podendo também ser solenemente instituído, o que acontece no âmbito da formação para o sacerdócio.

Verifique também

Seminário de Faro conta este ano com dois seminaristas da Arquidiocese de Évora

O Seminário de São José de Faro, instituição dedicada à formação dos futuros sacerdotes da …

Folha do Domingo

GRÁTIS
BAIXAR