Pub

A Diocese do Algarve voltou a realizar no passado dia 17 deste mês uma ação de formação para empresas organizadoras de casamentos.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

A iniciativa, levada a cabo através do seu Setor da Pastoral de Turismo em parceria com a Chancelaria Diocesana, teve lugar no Seminário de São José, em Faro, e procurou dar continuidade ao primeiro encontro de 2017 com cerca de 20 agências (notícia no fim do texto) que visou a certificação daquelas empresas, comumente designadas como wedding planners, nos últimos dois anos.

“A certificação tem funcionado bem porque sabemos que as agências que têm esta formação prestam um melhor serviço aos seus clientes”, referiu ao Folha do Domingo, Sandra Moreira do Setor Diocesano da Pastoral de Turismo, acrescentando que para a Diocese do Algarve também traz vantagens porque as empresas certificadas “respeitam mais as regras”. “Para nós, diocese, trata-se de evitar constrangimentos na realização das cerimónias, que elas sejam legais válidas e corretamente feitas em termos litúrgicos. Na verdade, estamos a dar-lhes ferramentas para executarem bem o seu trabalho e terem menos problemas com os clientes”, complementou.

Sandra Moreira disse ainda que outra das principais vantagens é o “contacto muito mais direto” com a diocese algarvia. “Também as ajudamos muito mais vezes a resolver situações que elas não conseguem. Enquanto que as que não são certificadas têm muito mais dificuldade, primeiro porque não conhecem o processo e segundo porque também porque, muitas vezes, não sabem a quem se dirigir”, sustentou.

A formação, que visa explicar às wedding planners os procedimentos necessários para a preparação de um casamento católico, ou seja, para a celebração do sacramento do matrimónio, foi este ano participada por cerca de 25 agentes.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

O bispo do Algarve, que este ano marcou presença no encontro, realçou a importância desta “colaboração mútua” para a “dignificação do sacramento do matrimónio”. “Temos todo o interesse – e penso que vós também – em que tudo aconteça de acordo com aquilo que a Igreja propõe a este nível, no sentido de dignificar a própria celebração”, afirmou D. Manuel Quintas, referindo a importância da ajuda mútua para a criação das “condições para que aqueles que casam pela Igreja guardem disso uma grata recordação”. “Espero que destes encontros resulte uma maior facilitação no sentido de contactos e encontros”, acrescentou.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Uma das agentes presentes manifestou, em nome das restantes, o reconhecimento por aquele trabalho da diocese algarvia, particularmente, o apoio prestado pelo padre Miguel Neto, coordenador do Setor Diocesano da Pastoral do Turismo (SDPT). “[Gostaria de] agradecer o bom apoio e o conhecimento dele, que tem sido uma mais-valia para nós”, disse ao bispo do Algarve.

A formação, resultante do trabalho que a Diocese do Algarve tem vindo a fazer com as wedding planners desde 2011, tem sido procurada por aquelas que organizam um maior volume de casamentos católicos, a maior parte deles com irlandeses, ingleses e norte-americanos. “As maiores estão aqui representadas”, garante Sandra Moreira, acrescentando que nos últimos dois anos “muitas empresas novas surgiram”, assim como também cresceu o número de estrangeiros e de emigrantes interessados em vir casar a Portugal.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

No entanto, segundo os responsáveis do SDPT e os próprios agentes de casamentos, essa tendência sofreu uma inversão no último ano em relação ao Algarve. A tendência de aumento nacional no último ano verificou-se sobretudo em relação ao Porto, Lisboa e Madeira.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Na formação, realizada este ano também em colaboração com a Igreja Anglicana, o padre Reid Hamilton manifestou às agências a disponibilidade para realizar a bênção de noivos daquela confissão cristã que a possam querer e para responder a qualquer dúvida que surja.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

O padre Miguel Neto, que abordou as questões processuais e legais, destacou a certificação como “sinal de credibilidade e de relação” e informou que o sítio daquele serviço na internet vai ser traduzido para língua inglesa.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

O padre António Moitinho de Almeida explicou os diversos aspetos relativos à celebração religiosa relacionados com liturgia, decoração, cânticos, entre outros.

Diocese do Algarve vai certificar empresas que organizam casamentos

Pub