Pub

Dia_lobito_2015 (34).JPG
© Samuel Mendonça

A Junta Regional do Algarve do Corpo Nacional de Escutas (CNE), através do seu Departamento Regional da I Secção em colaboração com o Agrupamento 413 de Ferragudo, promoveu no passado fim de semana o Dia do Lobito (escutas entre os 6 e os 10 anos de idade).

A iniciativa, que reuniu em Ferragudo 453 participantes (incluindo 351 Lobitos, 71 dirigentes e 31 Caminheiros), pertencentes a 63 alcateias (grupos de Lobitos) de 21 agrupamentos algarvios, era para ter sido realizada em outubro, como acontece anualmente, por forma a comemorar São Francisco de Assis, o patrono da I secção escutista. O adiamento excecional da atividade deveu-se à proximidade com o XII Acampamento Regional (ACAREG) do Algarve do CNE que decorreu em setembro e que envolveu todos os recursos afetos ao movimento na região.

Tendo como tema “O Mar e as suas maravilhas”, o Dia do Lobito foi construído em torno de um imaginário marinho proposto pelo agrupamento marítimo de Ferragudo que teve como herói o caranguejo “Pintas” e que procurou destacar o valor da Família.

Os Lobitos ficaram acantonados na Nave Desportiva de Ferragudo, tendo os agrupamentos começado a chegar no sábado a partir das 9.30h. Após a abertura de campo, e ainda antes do almoço, realizou-se um jogo de alcateias. De tarde, decorreu a iniciativa “Todos à Aventura” que consistiu na realização de 10 jogos de destreza junto à Praia da Angrinha e ao Forte de São João do Arade.

Após os jogos e o jantar, realizou-se o Fogo de Conselho, designado de “Festa no Recife”, que contou com uma representação alusiva ao imaginário, apresentada pelo agrupamento escutista de Ferragudo, e com um desfile dos Lobitos com fatos dos personagens feitos pelos próprios.

No domingo, após a alvorada, a manhã foi dedicada à realização de um jogo de vila com vários postos, intitulado “Ferragudo à vista”, que lhes permitiu conhecer melhor a história e cultura daquela localidade, cuja edificação remota ao ano de 1520.

Depois do almoço, foi celebrada a eucaristia, presidida pelo assistente regional adjunto do CNE, o padre Nuno Coelho, e a atividade terminou com o momento de encerramento.

Atualmente, o movimento escutista conta com mais de 30 milhões de elementos no ativo, dispersos por 216 países do mundo. O CNE foi fundado no dia 27 de maio de 1923, por ação de D. Manuel Vieira de Matos, arcebispo de Braga, e está atualmente presente em todas as dioceses de Portugal, registando um efetivo de 73.000 associados (59.000 crianças e jovens e 14.000 adultos), sendo que no Algarve são cerca de 2.200 pertencentes a 32 agrupamentos.

Pub