Pub
Foto © EPA/Luís Forra
Foto © EPA/Luís Forra

O britânico Geraint Thomas (Sky) venceu pela segunda vez consecutiva a Volta ao Algarve em bicicleta, que terminou ontem no alto do Malhão, em Loulé, onde o espanhol Alberto Contador conquistou a quinta e última etapa.

Contador concluiu os 169 quilómetros desde Almodôvar em 4:24.47 horas, deixando o italiano Fabio Aru (Astana) e o francês Thibaut Pinot (FDJ) na segunda e terceira posições, a 20 segundos.

Thomas terminou a 42.ª edição da ‘Algarvia’ com uma vantagem de 19 segundos sobre o espanhol Ion Izagirre (Movistar), segundo classificado), enquanto Contador terminou no último lugar do pódio, a 26 segundos do britânico.

O ciclista britânico assumiu que a sua segunda vitória na Volta ao Algarve foi mais difícil do que a do ano passado.

“No ano passado, vencer foi um bónus. Vir aqui com responsabilidade foi diferente, estou contente por ter estado à altura”, disse ainda antes de subir ao pódio, no alto do Malhão, uma ideia que o galês voltou a repetir já depois de feita a festa.

“Estava sob bastante pressão, porque no ano passado vim para ajudar o Richie [Porte] e este ano tinha os rapazes a trabalhar para mim. Foi bom poder ganhar para lhes agradecer”, reiterou.

O galês reconheceu que a quinta etapa, que ligou Almodôvar ao alto do Malhão, foi difícil, ainda mais por culpa do vento.

“Quando o [Alberto] Contador atacou, tentámos manter a calma e não nos precipitámos a ir atrás dele. Mantivemos o ritmo para vencer a geral”, contou.

Thomas recordou que na pré-temporada teve a maior paragem da sua carreira – “foram cinco semanas sem a bicicleta” – e, portanto, não sabia se ia estar bem na Volta ao Algarve.

Questionado sobre se gostaria de ganhar uma grande Volta este ano, o bicampeão da ‘Algarvia’ foi perentório: “Gostava de ganhar em qualquer ano, mas o meu plano é ajudar o ‘Froomie’ no Tour”. Se puder tentar um resultado para mim, irei por ele”.

com Lusa

Pub