Inicio | Política | Marco Rosa é o candidato da CDU à Câmara de Castro Marim

Marco Rosa é o candidato da CDU à Câmara de Castro Marim

O professor e dirigente sindical Marco Rosa é o candidato da Coligação Democrática Unitária (CDU) à presidência da Câmara de Castro Marim, anunciou na sexta-feira a coligação composta pelo Partido Comunista Português (PCP) e pelo Partido Ecologista “Os Verdes” (PEV).

A CDU anunciou ainda que escolheu João Dias para liderar a lista à Assembleia Municipal de Castro Marim, num comunicado da estrutura local da coligação, que tem como principal objetivo o aumento da votação e do número de mandatos, conseguindo representação no executivo autárquico.

Marco Rosa tem 45 anos, é militante do PCP e dirigente do Sindicato dos Professores da Zona Sul, tendo sido membro do Conselho Nacional da Federação Nacional dos Professores (Fenprof), referiu a CDU na nota biográfica do candidato.

A mesma fonte acrescentou que Marco Rosa “é mestre em Psicologia Educacional e Doutorado em Educação, é autor de vários trabalhos de investigação, artigos e comunicações em conferências e congressos”, tendo ainda “exercido funções como formador de professores e de formadores, em várias regiões do país”.

A CDU justificou a escolha de Marco Rosa como candidato à Câmara algarvia, uma das 16 do distrito de Faro, com o facto de estar “familiarizado com a política autárquica” e de ter sido “membro da Assembleia Municipal de Vila Real de Santo António”, no âmbito de diversas candidaturas em que integrou nas listas da coligação nos dois concelhos e no de Tavira”.

Marco Rosa tem já como adversários conhecidos o atual presidente da Câmara e candidato do PSD, Francisco Amaral, e a enfermeira Célia Brito, antiga presidente da Junta de Freguesia de Castro Marim, que foi a escolhida para encabeçar a lista do PS à autarquia.

Francisco Amaral deixou a Câmara de Alcoutim em 2013, por se encontrar no limite de mandatos, venceu as eleições para o município vizinho de Castro Marim e manteve a presidência para o PSD, sucedendo no cargo ao também social-democrata José Estevens.

Estevens também não se pôde recandidatar em 2013 por estar no limite de mandatos, concorreu sem sucesso ao município de Tavira e foi escolhido pela secção concelhia para voltar a encabeçar a lista do PSD à Câmara de Castro Marim nas autárquicas de outubro.

Nos últimos quatro anos, a relação do atual e do ex-autarca deteriorou-se e o antigo presidente da Câmara retirou confiança política a Francisco Amaral, acusando-o de “falta de solidariedade política” com a concelhia presidida pelo próprio José Estevens, de se “ter afastado do programa eleitoral” sufragado ou de a sua gestão ter sido “uma desilusão e um logro”.

Francisco Amaral criticou a escolha de José Estevens contra as orientações das estruturas nacional e regional do PSD e reafirmou a intenção de concorrer a um novo mandato, candidatura confirmada posteriormente pelas estruturas distrital e nacional social-democratas.

Nas últimas autárquicas, em 2013, a lista do PSD liderada por Francisco Amaral conquistou três dos cinco mandatos em disputa, enquanto o PS ficou com os restantes dois vereadores.

As eleições autárquicas realizam-se a 01 de outubro.

Verifique também

Câmara de Silves aprova orçamento de 51,9 milhões de euros para 2020

A Câmara de Silves aprovou um orçamento municipal de 51,9 milhões de euros para 2020, …