Breves
Inicio | Opinião | Números para refletir

Números para refletir

Padre Miguel Neto

Hoje, mais do que vos apresentar as minhas reflexões, vou somente apresentar factos, para que cada um de vós os possa analisar e refletir sobre eles. Números para refletir. Talvez consigam chegar a conclusões mais interessantes e sábias do que todas as que me passam pela cabeça ao olhar para os números de que vos vou falar, pois, na verdade, se por um lado me alegram e me fazem feliz porque sinto que continuamos a viver numa terra de gente crente e temente a Deus, por outro deixam-me perplexo, pois não são confirmados por outros factos e outros registos feitos ao longo dos últimos anos.

Ora vejamos: a crer nos números apresentado pelo Pew Research Center, um instituto independente de análise de dados, inquéritos e sondagens, com sede em Washington, nos Estados Unidos da América, os portugueses são dos países mais crentes e que mais valorizam a religião da Europa Ocidental.
Segundo este estudo, em Portugal é onde mais pessoas (de três em cada dez) garantem que Deus existe, sendo o único da Europa Ocidental no qual mais de «três em cada dez pessoas inquiridas (44%) manifestam ter a certeza absoluta de que Deus existe»1 . Consequentemente, os inquiridos neste estudo também manifestam acreditar em Deus (83%). Entra os nove países que apresentam números superiores aos nossos não há países da Europa Ocidental e estão nações onde o catolicismo tem um pendor ultraconservador, como a Polónia (45%). Seremos nós parecidos na forma como vivemos a Fé dos cristãos do Oriente e dos conservadores?…

Este estudo, que analisou tudo o que diz respeito à religião em 34 países, também coloca Portugal entre os 10 em que os cidadãos (62%) consideram a religião «uma componente importante da sua identidade nacional», ou seja, a religião não marca só a vida pessoal de cada um, mas a vida do país como um todo, definindo-nos enquanto Portugueses. Estamos mesmo à frente dos tão tradicionalmente e aguerridamente irlandeses ou dos nossos vizinhos espanhóis, que têm 59% dos seus cidadãos a dizer precisamente o contrário de nós.

Por sua vez, o Vaticano revelava, em 2017, números recolhidos em 2015 pelo Serviço Central de Estatística da Igreja relativos a Portugal. Dizia que em Portugal existem um total de 9,183 milhões de católicos numa população de 10,34 milhões de pessoas (88,7% )2. Estes números representam um crescimento relativamente aos dados de 2010, mais precisamente de 0,4%.

Já o Recenseamento da Prática Dominical, datado de 2011, mostrava que o número total de praticantes em Portugal não chegava aos dois milhões de fiéis3.

Recentemente, em março de 2018, foram conhecidas as conclusões do relatório “Os jovens adultos europeus e a religião4, realizado pelo Centro Bento XVI para a Religião e Sociedade, em parceria com duas das mais importantes Universidades católicas da Europa: a Universidade de St. Mary, do Reino Unido e o Institut Catholique de Paris, em França. Este estudo, preparado por causa do Sínodo dos Bispos sobre a Juventude (que acabou no passado dia 28 de outubro) indica que 42% dos jovens portugueses entre os 16 e os 29 anos não se identifica com nenhuma religião. Os remanescentes 58% são Cristãos, maioritariamente católicos, mas mais de metade destes admite que não frequenta regularmente a missa nem tem por hábito rezar.

O que significarão estes números? Como nos devem interpelar e implicar a todos, clero, leigos, Igreja de Cristo? O que é um cristão na perspetiva do cidadão comum? O que nos distingue dos demais? Como podemos ser fermento, sal e luz nesta terra que precisa de gente de bem, de verdadeiro amor e onde vemos o radicalismo (a todos os níveis, político, económico, religioso) crescer?

1Cordeiro, Ana Dias, 2018. “Portugal é dos países onde mais pessoas garantem que Deus existe”, in Público, 29 de Outubro de 2018, 22:34 (https://www.publico.pt/2018/10/29/sociedade/noticia/portugal-unico-pais-europa-ocidental-onde-quase-metade-catolicos-acredita-deus-existe-1849285?fbclid=IwAR0Lipxxq8b0Jn6rfDOAj5Io5ofdLQ2Nk1tL3oj-0yGIVmxs0lHJzn4ZBDk, consultado a 01/11/2018).
2Expresso, 2017. Vaticano revela ligeiro aumento de católicos em Portugal, in Expresso, 03.05.2017 às 15h50 (https://expresso.sapo.pt/sociedade/2017-05-03-Vaticano-revela-ligeiro-aumento-de-catolicos-em-Portugal#gs.eOVe9bU).
3Carmo, Octávio, 2015. «Ad limina»: Números da Igreja Católica em Portugal, in Agência Ecclesia, 04 de setembro de 2015, às 09:07 (http://www.agencia.ecclesia.pt/noticias/nacional/ad-limina-numeros-da-igreja-catolica-em-portugal/, consultado a 01/11/2018).
4Gomes, João Francisco, 2018. 42% dos jovens adultos portugueses dizem que não são religiosos, in Observador, 21/3/2018, 7:30 (https://observador.pt/2018/03/21/42-dos-jovens-adultos-portugueses-dizem-que-nao-sao-religiosos/, consultado a 01/11/2018).

Verifique também

Outra vez, não!

Sempre achei que o povo português é demasiado pessimista e fatalista. Não sei se isso …