Pub

D. Manuel Neto Quintas
D. Manuel Neto Quintas*

O nosso Jornal Folha do Domingo está de parabéns. Completa hoje, 19 de julho, 100 anos de vida! Um século ao serviço da Igreja no Algarve e do povo algarvio: ação ininterrupta de formação e informação, inspirada em princípios humanos e cristãos, nos valores do Evangelho, na defesa e promoção da dignidade da pessoa humana; um inestimável elo de ligação e comunhão entre as diferentes comunidades, que constituem a Diocese do Algarve.

Felicitar a Folha do Domingo é homenagear quantos, ao longo destes 100 anos, cruzaram a sua vida com este jornal: os fundadores, diretores, administradores, jornalistas, trabalhadores, colaboradores, aos mais diversos níveis, sem esquecer os seus leitores… Apraz-me neste dia manifestar a todos, sem exceção, a gratidão e o reconhecimento da Diocese do Algarve pelo insubstituível contributo prestado pela Folha do Domingo ao serviço da realização da missão da Igreja.

Permito-me evocar o seu primeiro diretor, ao qual se deve a fundação da Folha do Domingo, o Cónego Marcelino Franco, o qual, quatro anos mais tarde (1918), viria a ser nomeado Bispo do Algarve, serviço que viria a prestar ao longo de trinta e sete anos (1955). No editorial do primeiro número apresenta como motivação primeira para a fundação deste jornal, a resposta ao mandato de Cristo: “Ide pelo mundo e anunciai o Evangelho”, ou seja possibilitar o acesso à Palavra de Deus àqueles que, “por qualquer circunstância, não vão ouvi-la”, bem como àqueles “que frequentam os templos e ouvem muitas vezes com atenção e proveito a Palavra de Deus, mesmo para esses esperamos que não será inútil a leitura que, semanalmente, lhe vamos proporcionar com este boletim”. (…) “Esta folha será, pois um complemento da pregação paroquial, quando não seja a sua substituição. (…) Não nos pouparemos a esforços para tornar esta publicação útil para os leitores, a que se destina, e adequada para o fim que tem em vista”.

Foi esta determinação, unida ao empenho e à dedicação de tantos ao longo deste século que possibilitaram, apesar das dificuldades de cada tempo, que a Folha do Domingo mantivesse o seu rumo em fidelidade à missão da primeira hora.

Muito evoluiu o mundo da comunicação, particularmente nestas décadas mais recentes… evolução que a Folha do Domingo, felizmente, acompanha. A Internet constitui, efetivamente, um novo foro para levar a todo o mundo o Evangelho; o seu enorme potencial permite-nos, neste novo milénio, corresponder, de modo mais adequado, ao mandato de Cristo “fazei-vos ao largo” (Lc 5,4). Já o Papa Paulo VI, consciente desta realidade, alertou que a Igreja “se sentiria culpável diante do seu Senhor se não usasse estes poderosos meios” (EN 35), com tantas potencialidades para a realização da sua missão. As novas tecnologias da comunicação constituem uma oportunidade providencial para chegar a todas as latitudes, superando barreiras de tempo, de espaço e de língua, formulando, nas modalidades mais diversas, os conteúdos da fé e oferecendo a todos, meios que permitam conhecer e acolher a comunicação de Deus com o homem, que alcançou a sua perfeição em Cristo, Palavra encarnada.

Sem deixar a sua forma impressa, é este o desafio que a Folha do Domingo enfrenta e ao qual já vem respondendo, no início do segundo século da sua existência. Com o nosso apoio, colaboração e estímulo, auguramos-lhe vida longa e missão fecunda.

Manuel Quintas, *Bispo do Algarve

Pub