Pub

A paróquia de São Pedro de Faro teve este ano um aumento de cerca de 20% das pessoas que pediram apoio mensal alimentar.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo
Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

A responsável pelo serviço da Pastoral Sociocaritativa da paróquia explicou ao Folha do Domingo que antes da pandemia as famílias apoiadas com um cabaz mensal de alimentos eram cerca de 65. Mariana Piteira Santos acrescenta que esse número subiu para cerca de 80 por causa do desemprego e do layoff. “Tem havido um aumento muito grande de pedidos, mas também das contribuições”, refere. “Apesar das dificuldades sentidas pela maior parte do sector empresarial do Algarve, ainda tivemos contributos de vários empresários nossos amigos”, sustentou.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo
Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

“Nas refeições confecionadas à quarta-feira, sexta-feira e ao domingo tivemos também um grande aumento porque passámos a ter muitos sem-abrigo, muitos estrangeiros, sobretudo, ingleses ou pessoas do leste da Europa”, acrescenta aquela responsável, referindo-se ao fornecimento de refeições que deixou de ser realizado no refeitório e passou a ser feito em regime de take-away. “No início da pandemia parámos com os jantares presenciais e passaram a levar os sacos com tudo o que comiam ali: sopa quente com carne, pão, fruta e doces ou iogurtes”, especifica. 

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo
Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Aquele serviço, que funciona há 25 anos na paróquia de São Pedro, realiza ainda anualmente o tradicional almoço de Natal que este ano também não pôde ser feito na Escola EB 2,3 Dr. Joaquim Magalhães. Em vez disso, o almoço foi hoje fornecido em regime de take-away. Foram oferecidas 140 refeições e a sua preparação mereceu a visita do bispo do Algarve, D. Manuel Quintas, esta manhã. Para além disso, foram ainda distribuídos 80 cabazes de Natal pelas famílias apoiadas mensalmente.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo
Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo
Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo
O grupo de professoras do Agrupamento de Escolas Tomás Cabreira que dinamizou a campanha de recolha de alimentos

Há já vários anos que a colaboração da Escola EB 2,3 Dr. Joaquim Magalhães com a paróquia se estende também à doação de alimentos. Este ano, a campanha de alimentos e produtos de higiene e limpeza integrou um projeto de Cidadania e Desenvolvimento da comunidade escolar, alargou-se à Escola Secundária Tomás Cabreira, do mesmo Agrupamento, e a dimensão da ajuda superou a dos anos anteriores com a entrega de 1949 artigos. “Comovi-me com a generosidade dos pais e das crianças”, afirmou Mariana Piteira Santos, explicando que aquela escola começou a ter interesse pelo trabalho realizado por aquele serviço. “Começámos a criar amizade com algumas professoras, nomeadamente com a professora Anabela, e este trabalho tem vindo a aumentar, tendo este ano esta expressão”, sustentou.

Os alimentos recolhidos pelo Agrupamento de Escolas Tomás Cabreira
Os alimentos recolhidos pelo Agrupamento de Escolas Tomás Cabreira

Também a campanha ‘Colega a Colega’, incentivada pela Cáritas Diocesana do Algarve, para ser realizada pelas crianças das catequeses paroquiais, grupos de jovens e escuteiros dos agrupamentos do CNE surtiu grande efeito. “Foi um incentivo muito grande para as famílias e para estas crianças aprenderem a serem solidárias”, destaca Mariana Piteira Santos, explicando que as prateleiras para apoio dos mais necessitados ficaram reabastecidas com 1149 doados no âmbito da iniciativa. “As pessoas, nesta situação, são muito mais solidárias. O povo português é solidário. Este ano penso que houve uma sensibilização extraordinária devido à crise provocada pela pandemia”, considera.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo
Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

“Também tivemos donativos dos estudantes da Capelania da Universidade do Algarve, de um grupo de estudantes de Erasmus e da Cruz de Malta”, acrescenta aquela responsável, referindo que “a comunidade de São Pedro também foi muito sensível aos apelos” do seu pároco.

O serviço da Pastoral Sociocaritativa da paróquia de São Pedro de Faro conta com cerca de 20 colaboradores voluntários permanentes, mas no total, contando com os que colaboram no apoio a estes, são cerca de 33.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo
Pub