Pub

O município de Portimão distinguiu no passado dia 11 deste mês o chefe José Cercas Vicente do Corpo Nacional de Escutas (CNE) com a Medalha de Mérito Municipal – Grau Prata.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

A distinção ao dirigente do CNE, que em julho deste ano concluiu o último mandato como chefe regional do CNE, foi entregue pelos presidentes da Câmara e da Assembleia Municipal na sessão solene do Dia da Cidade e a Gala do Desporto – Homenagem aos Campeões Portimonenses da época 2018/2019, que decorreu no novo Pavilhão Desportivo da Boavista, inaugurado precisamente naquela ocasião.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

“O município de Portimão deliberou, no passado dia 6 de novembro, aprovar a proposta do Conselho Consultivo de Medalhas e Títulos Honoríficos e conceder, em virtude dos serviços que desempenhou, a José João Cercas Vicente a Medalha de Mérito Municipal – Grau Prata, na categoria social”, explicou a autarquia.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Homenageada também com a mesma medalha, mas na “categoria de Serviço Público”, foi a professora e dirigente escolar Fernanda Rosa. A presidente da Câmara, Isilda Gomes, destacou-os como “dois formadores de gerações”. “O município de Portimão reconhece penhoradamente o vosso empenho. São exemplos a seguir”, sustentou.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

O dirigente escutista disse ser “com grande alegria” que aceitou a condecoração. “Representa o culminar de uma vida dedicada ao escutismo nesta cidade de Portimão que tanto amo. Ao longo dos últimos 57 anos servi esta cidade como escuteiro do CNE, tendo desempenhado nos últimos nove anos o cargo de Chefe Regional da Região do Algarve, no exercício do qual sempre trabalhei colaborativamente com a autarquia de Portimão na realização de eventos”, referiu.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Na sessão em que marcaram presença os Agrupamentos 159 de Portimão, 685 de Alvor e 1398 de Nossa Senhora do Amparo do CNE, o homenageado lembrou que ingressou no movimento a 11 de novembro de 1962. José Cercas Vicente fez a sua promessa de dirigente a 21 de setembro de 1971, com apenas 18 anos. Esteve 40 anos ao serviço do Agrupamento 159 de Portimão, incluindo vários como chefe do agrupamento a partir de 5 de janeiro de 1974. A convite do recentemente falecido padre Domingos Fernandes integrou o Agrupamento 1256 do Parchal, onde trabalhou durante cinco anos até integrar a Junta Regional, tendo iniciado em 2010 com aquele sacerdote, então assistente regional do movimento, a sua primeira candidatura a chefe regional.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

De 18 de janeiro de 1986 a 30 de junho de 1991 foi secretário regional da I Secção, no dia 30 de junho de 1991 foi nomeado chefe de Departamento da III Secção e em 1995 foi nomeado secretário regional para a Proteção Civil. Foi vice-presidente do Conselho Fiscal Jurisdicional Regional e chefe do contingente do Algarve ao 19ºACANAC. Foi ainda presidente da Comissão Eleitoral e trabalhou durante 28 anos em Juntas Regionais, tendo sido eleito Chefe Regional do Algarve a 7 de fevereiro de 2010.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

“Também o CNE já reconheceu por diversas vezes a minha dedicação ao escutismo e ao serviço de uma vida dedicada às crianças e aos jovens”, lembrou o homenageado. José Cerca Vicente recebeu uma medalha de heroísmo em 1987 pela coragem no combate a um violento incêndio, a Cruz de São Jorge de Segunda Classe, a Cruz de São Jorge de Primeira Classe e, em 2016, a Cruz de Mérito Monsenhor Avelino Gonçalves. No dia 7 de julho deste ano foi distinguido com a mais alta condecoração daquele movimento: o colar de Nuno Álvares. “Essa condecoração e a que hoje me foi entregue representam para mim o reconhecimento de todos vós pelo trabalho que desenvolvi nos últimos 57 anos enquanto dirigente do CNE. Enquanto tiver forças e saúde continuarei a servir humildemente este município e o escutismo na região do Algarve”, concluiu.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo
Pub