Pub

Em comunicado, Miguel Freitas, que já tinha criticado a proposta de suspensão de parcerias público privadas apresentada pelo PSD, diz que o Governo demonstrou com esta atitude que considera aquele equipamento uma obra “prioritária”.

“A proposta apresentada pelo Governo para um entendimento sobre o Orçamento de Estado tem um valor simbólico para o PS/Algarve já que é claríssima na defesa da concretização do projeto do Hospital Central do Algarve”, afirma.

Para o socialista, a referência confirma a determinação do PS numa obra que é “estruturante” para a região, “não se admitindo qualquer hipótese de reavaliação nem mesmo em sede da suspensão das parcerias público privadas”, afirma.

O líder socialista critica ainda a posição do PSD, considerando que “não bastam declarações pomposas, mas sim clareza na apresentação de propostas”.

Para Miguel Freitas a questão das parcerias público privadas é “mais um tabu por desvendar neste PSD de incertezas, que ninguém sabe se vai ou não viabilizar o orçamento, pois provavelmente nem mesmo o próprio partido sabe”.

“Esta falta de critério por parte do PSD nas escolhas a fazer foi a razão principal do falhanço das negociações, já que se apresentou apenas com algumas ideias gerais muito pouco trabalhadas”, critica o deputado, eleito pelo círculo de Faro.

Miguel Freitas sugere ainda à estrutura regional do PSD que reforce a sua posição junto da sua direção nacional na defesa da construção daquele hospital, “independentemente de haver ou não uma reavaliação das parcerias público privadas”.

Lusa

Pub