Breves
Inicio | Economia | Turismo | Projeto Querença lança rota turística sobre a cal e o barro em 2015

Projeto Querença lança rota turística sobre a cal e o barro em 2015

Aldeia_cal_1A rota turística e cultural “Caminhos da Cal e do Barro” está em desenvolvimento no âmbito no Algarve do “Projeto Querença” e vai ser lançada no início de 2015.

Segundo disse Lusa a responsável pela rota Susana Calado Martins, a par do projeto empresarial, esta rota usa a cal e o barro, enquanto elementos naturais e tradicionais do interior do Algarve, como pretexto para conhecer o território e entendê-lo em termos físicos e naturais assim como as pessoas que nele vivem e viveram e as atividades que nele se têm desenvolvido.

Atualmente, está a decorrer a segunda edição do “Projeto Querença” – que adota o nome daquela freguesia do concelho de Loulé – lançado em 2011 para combater o despovoamento do interior algarvio, dar nova dinâmica à economia local e permitir que jovens criem novos produtos e empresas.

A rota foi apresentada este sábado e domingo durante o seminário “A Cal e o Barro como produtos culturais e turísticos” que decorreu no auditório da Fundação Manuel Viegas Guerreiro, em Querença.

O programa contou com várias palestras, uma delas sobre a rota do Mármore do Anticlinal de Estremoz e outra sobre o Museo da Cal de Morón, localizado em Sevilha, Espanha.

Ontem, os participantes tiveram oportunidade de aprender a preparar a tinta de cal e a adicionar-lhe pigmentos naturais recolhidos a partir das rochas do território para obter as cores que eram tradicionalmente utilizadas na época em que a cal era o produto mais utilizado para pintar as casas.

Apesar de ter caído em desuso, a cal continua a fazer parte da memória dos mais antigos e Susana Calado Martins contou que algumas pessoas da aldeia lhe deram informações de como preparavam as tintas.

As propriedades desinfetantes da cal são por vezes comentadas pelas pessoas que a usavam.

“Há pessoas que dizem que antigamente caiavam as casas e tinham as paredes brancas e em condições e que quando começaram a usar as tintas as paredes começaram a ficar bolorentas, porque a tinta não deixa as paredes respirarem e a cal deixa”, disse Susana Calado Martins.

com Lusa

Verifique também

Algarve escolhido como melhor destino de golfe do Mundo para 2020

A Associação Internacional de Operadores de Turismo de Golfe (IAGTO) escolheu o Algarve como “melhor …