Breves
Inicio | Igreja | Setenta e cinco adultos pediram à Diocese do Algarve admissão na Igreja Católica

Setenta e cinco adultos pediram à Diocese do Algarve admissão na Igreja Católica

Admissao_catecumenado_2018 (6)
Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Este fim-de-semana foram 75 os adultos que vieram pedir à Diocese do Algarve para serem admitidos na Igreja Católica. Destes, 29 deverão mesmo receber na próxima Páscoa os três sacramentos da iniciação cristã: batismo, confirmação (crisma) e eucaristia.

Admissao_catecumenado_2018 (1)
Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

No sábado, 46 pessoas vieram manifestar a intenção de iniciar o tempo de preparação – catecumenado – que os deverá levar a receber aqueles sacramentos no próximo ano. Ontem foi a vez daqueles que, tendo iniciado já o catecumenado há pelo menos um ano, vieram agora expressar a sua vontade de passar à fase seguinte da preparação. Ambos os grupos, acompanhados pelos seus garantes (catequistas), encontraram-se com o bispo do Algarve em Faro, primeiramente no Seminário de São José e depois nas celebrações que tiveram lugar na catedral.

Admissao_catecumenado_2018 (4)
Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

O primeiro grupo, constituído por pessoas dos 17 aos 87 anos, oriundas das paróquias de Algoz (1), Aljezur (1), Almancil (1), Alvor (2), Boliqueime (5), Ferreiras (1), Loulé (2), matriz de Portimão (7), Nossa Senhora do Amparo de Portimão (2), Quarteira (6), São Brás de Alportel (9), São Pedro de Faro (2), Silves (1) e do vicariato do Siroco de Olhão (4), foi admitido agora ao catecumenado pelo bispo diocesano.

Eleicao_catecumenos_2018 (4)
Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Os elementos do segundo grupo, oriundos das paróquias de Albufeira (1), Almancil (1), Alvor (1), Boliqueime (1), Ferreiras (6), Matriz de Portimão (7), Monchique (2), Quarteira (1), São Pedro de Faro (1), Tavira (2), Vila Real de Santo António (1) e pelo vicariato do Siroco de Olhão (4), iniciaram uma nova fase do seu catecumenado (preparação para a receção dos sacramentos da iniciação cristã) – a purificação e iluminação, – deixando de ser catecúmenos (designação dos candidatos aos sacramentos da iniciação cristã) para passar a ser eleitos, ou seja, escolhidos.

Recorde-se que a Igreja tem um percurso próprio para a iniciação cristã dos adultos que começa com um período de pré-catecumenado, com a manifestação do primeiro desejo de ser batizado. Segue-se o tempo de catecumenado (iniciado no sábado pelo grupo de 46 pessoas), ligado de maneira particular à catequese, ao conhecimento da pessoa de Jesus, da Igreja e da fé cristã. Este tempo termina com o rito de eleição dos catecúmenos (celebrado ontem pelo grupo de 29 elementos) e a partir desse dia, a preocupação com os adultos já não é de ordem doutrinal, mas de ordem espiritual. São então convidados a uma caminhada mais intensa de ordem interior. Seguidamente à receção dos sacramentos da iniciação cristã, os neófitos (novos filhos) iniciam um período de mistagogia em que são inseridos na vida da Igreja.

Admissao_catecumenado_2018 (5)
Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Dirigindo-se aos adultos, D. Manuel Quintas disse-lhes para se sentirem completamente livres para tomarem a decisão que entenderem. “Que ninguém se sinta obrigado nem pressionado a nada”, destacou, garantindo haver “liberdade plena e respeito pleno pelo caminho que cada um está a fazer”. “Não é obrigatório que alguém, tendo iniciado o catecumenado, tenha de ser batizado já nesta Páscoa. Tem que brotar de vós mesmos este desejo, este querer ser batizado e entender o mais possível o que significa ser batizado, ser discípulo de Cristo, ser membro de uma família que todos constituímos, à qual chamamos Igreja”, complementou.

O prelado disse-lhes que “a Igreja deve estar atenta a quem procura e a quem pede” para receber os sacramentos da iniciação cristã e acrescentou que é seu dever apoiar aqueles que, “por tantas circunstâncias”, não tiveram oportunidade de ser batizados.

Eleicao_catecumenos_2018 (2)
Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

O bispo diocesano falou sobre o sentido da Páscoa, incluindo o significado e a simbologia do período de preparação que a precede – a Quaresma – e da caminhada de iniciação cristã (catecumenado), recuperada após o Concílio Vaticano II, que explicou ter origem nos primeiros séculos do Cristianismo. Nos encontros, em que participaram também os cónegos Carlos César Chantre, vigário geral, e o padre Flávio Martins, responsável pelo Sector da Educação da Fé dos Adultos da Diocese do Algarve, D. Manuel Quintas elucidou sobre o significado do jejum, da esmola e da partilha neste tempo litúrgico.

Nas celebrações, na Sé de Faro, D. Manuel Quintas destacou a simbologia daquele espaço, lembrando que aquela catedral é sinal da Igreja diocesana, feita de pessoas, «pedras vivas», Igreja à qual os agora catecúmenos e eleitos irão pertencer a partir do batismo.

O prelado disse-lhes inclusivamente que, de certo modo, já fazem parte dessa família diocesana através da oração que os cristãos algarvios fazem por eles, mas, sobretudo, se se alimentarem da Palavra de Deus. “A Palavra de Deus é um grande instrumento de um caminho catecumenal”, afirmou, pedindo-lhes que ao longo dos próximos meses tenham a Palavra de Deus por “companheira de viagem”. “Que esta Palavra vos ajude a encontrar Cristo na vossa vida porque é esse o grande objetivo deste catecumenado”, desejou. “Ao longo de toda esta Quaresma não é só o bispo que vai rezar por vós, é toda a nossa Igreja diocesana. Não vos sintais sozinhos. Senti-vos acompanhados ao longo de todo este caminho”, assegurou.

Admissao_catecumenado_2018 (8)
Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

No sábado, os 46 pré-catecúmenos foram recebidos à entrada da catedral. Depois dos ritos iniciais, constituídos pelo diálogo de indicação do nome, pela disposição pessoal e pela signação (sinal da cruz) da fronte, o bispo do Algarve convidou os candidatos a entrar na igreja, um dos momentos mais significativos, seguindo-se a celebração da palavra.

Ontem, a celebração do rito de eleição dos catecúmenos prosseguiu com os 29 candidatos a inscreverem em livro próprio o seu nome, gesto que confirma a sua vontade em receber os sacramentos da iniciação cristã. Os eleitos irão agora, durante os próximos domingos da Quaresma, celebrar nas suas paróquias os escrutínios e a tradição das entregas das orações do Credo e do Pai-Nosso e, na vigília pascal, a mais importante celebração para os cristãos, completarão a sua iniciação sacramental.

A Quaresma é um período de 40 dias – excetuando os domingos -, marcado por apelos ao jejum, partilha e penitência, que serve de preparação para a Páscoa, a principal festa do calendário dos cristãos.

Rito de admissão 

Rito de eleição

Verifique também

As novas religiosas que vieram este ano trabalhar para o Algarve

Em cada ano pastoral há sempre renovação nas comunidades religiosas presentes nas diversas dioceses. Neste …