Pub

O arquiteto Martim Afonso Pacheco Gracias, primeiro presidente da autarquia eleito após o 25 de abril de 1974, vai hoje a enterrar no cemitério da cidade, com as exéquias fúnebres a terem início às 14:00.

Martim Afonso Pacheco Gracias morreu na segunda-feira, aos 83 anos, e o corpo está desde as 19:00 de terça-feira em câmara ardente no salão nobre do município de Portimão, que decretou três três dias de luto municipal pelo falecimento do antigo autarca.

O corpo de Martim Gracias deixará o salão nobre da Câmara Municipal às 14:00, seguindo depois para a Igreja do Colégio de Portimão, onde será celebrada uma missa de corpo presente, antes de o cortejo fúnebre rumar ao cemitério da cidade.

Martim Gracias nasceu em 1934, em Lagos, exerceu a profissão de professor em Portimão a partir da década de 1960 e foi eleito como primeiro presidente da Câmara do período democrático instaurado após o 25 de abril de 1974.

Arquiteto de formação, Martim Gracias foi eleito nas primeiras eleições autárquicas, em 1976, nas listas do PS, manteve-se à frente do município durante mais de 15 anos e foi também deputado eleito pelo círculo de Faro na VII legislatura.

Pub