Pub

“A grande mensagem do Natal é exatamente receber Jesus como luz que vem iluminar a minha vida para que eu possa iluminar a vida dos outros”. Esta foi a mensagem deixada pelo bispo do Algarve no passado sábado na celebração da campanha de Natal da Cáritas “10 Milhões de Estrelas – Um Gesto pela Paz” e da ‘Luz da Paz de Belém’ que se realizou na paróquia das Ferreiras.

Acrescentando que “não há Natal sem encontro com esta luz, sem encontro com Cristo”, D. Manuel Quintas deixou claro que “não há Natal sem encontrar Cristo nos outros” e que celebrar esta quadra implica “sempre deixar que o coração se abra aos outros, sobretudo aos mais necessitados, para ser junto deles essa luz que é Jesus”.

10_milhoes_estrelas_luz_paz_belem_2019-9
Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

O prelado desafiou assim os cristãos a procederem dessa forma “não apenas pelo Natal, mas todo o ano”. “Se cada um for esta luz pequenina, na vida, na sua casa, na escola e no trabalho, todo o mundo ficará iluminado”, realçou, lembrando que a “luz da fé” foi adquirida no batismo para que “se avive sempre mais”.

A iniciativa – que acabou por não ser precedida pela ‘Marcha da Paz’, devido às condições climatéricas que se fizeram sentir durante grande parte do dia e que acabaram por levar à decisão de não a realizar – foi presidida pelo bispo do Algarve e contou com a participação do presidente da Cáritas Diocesana do Algarve, do chefe regional e do assistente regional e de agrupamentos do Corpo Nacional de Escutas de vários pontos do Algarve.

À porta da igreja paroquial foram expostas várias imagens alusivas à Carta Apostólica do papa Francisco ‘Admirabile signum’ (sinal admirável) sobre o significado e o valor do presépio.

Após a entronização da ‘Luz da Paz de Belém’ e a introdução do pároco local, seguiu-se o concerto de Rão Kyao. D. Manuel Quintas considerou-o uma “vigília mariana” que proporcionou “verdadeiramente uma oração natalícia”. O músico das flautas de bambu, que ao longo da noite fez questão de interagir muito com os presentes, foi acompanhado ao teclado por Renato Silva Júnior.

Rão Kyao abriu a sua interpretação com a música “Dou-vos um mandamento novo”, da autoria do compositor algarvio cónego José Pedro Martins que assistiu à homenagem. Seguiu-se o reportório do álbum “Sopro de Vida – Maria”, num concerto mariano que incluiu vários outros temas do cónego José Pedro Martins e de outros grandes autores litúrgicos portugueses.

A celebração teve início com a introdução do pároco das Ferreiras que lembrou não só o historial da ‘Luz da Paz de Belém’, como o da campanha de Natal da Cáritas. O padre Pedro Manuel explicou que “o projeto da «Luz da Paz de Belém» foi assumindo um estatuto de atividade de referência que marca um percurso de preparação para o tempo de Natal, não um Natal de excessos, das ceias faustosas e das prendas incontáveis, mas, sim, o natal do serviço gratuito aos outros”.

O anfitrião lembrou que a luz, vinda do local atribuído ao nascimento do nascimento de Cristo, “tem uma mensagem de paz, amor e esperança”, o enquadramento que se pretendeu viver naquela noite. “Em Portugal, na primeira década deste século, a luz chegava pela mão do movimento escuteiro católico de Espanha e também pela mão de um cônsul honorário da Áustria, residente aqui em Albufeira. Neste caso, a partilha da luz era feita na igreja matriz de Albufeira, em cerimónia ecuménica com a presidência do pároco e sempre na presença do presidente da Câmara”, lembrou.

O presidente da Cáritas algarvia exortou os presentes a serem “testemunhas da caridade evangélica e corajosos defensores dos pobres, dos abandonados e dos excluídos”. Carlos Oliveira lembrou que falar de paz não é apenas falar de “ausência de guerra”, mas “garantir que todas as pessoas têm habitação, comida, roupa, educação, saúde, amor e compreensão, ou, seja boa qualidade de vida”.

Citando o papa Francisco, aquele dirigente lembrou que “é uma hipocrisia quem fala de paz, mas continua a construir armas”. “Paz é cuidar do ambiente em que vivemos, garantir a boa qualidade da água, o saneamento básico, a despoluição do ar, o bom aproveitamento da terra. Paz é buscar a serenidade dentro de nós para viver com alegria os bons momentos, ter força e boas ideias para enfrentar os problemas e resolver as dificuldades. É acolhermos o evangelho e assim sermos farol desta luz que contagia o nosso coração. Acima de tudo, paz é criar um clima de harmonia e de bem-estar na família e na comunidade, lembrando sempre que onde há amor há paz, onde há paz há Deus e onde há Deus nada falta”, concluiu.

No final da celebração, o bispo do Algarve e o presidente da Cáritas algarvia distribuíram, com a ajuda dos escuteiros, a ‘Luz da Paz de Belém’ a quem a quis levar para casa.

A venda das velas da edição deste ano da campanha ‘10 Milhões de Estrelas – Um Gesto pela Paz’ reverte em 65% para as famílias carenciadas apoiadas por cada Cáritas Diocesana e os restantes 35% serão para apoiar as vítimas da catástrofe do ciclone Idai que atingiu Moçambique, num projeto internacional coordenado pela Cáritas Portuguesa.

Pub