Inicio | Igreja | Bispo do Algarve lembrou que a comunhão de Jesus desafia a uma “existência eucarística”

Bispo do Algarve lembrou que a comunhão de Jesus desafia a uma “existência eucarística”

Corpo_deus_2015 (103)
Foto © Samuel Mendonça

O bispo do Algarve lembrou ontem que a comunhão de Jesus desafia a uma “existência eucarística”.

D. Manuel Quintas falava no encerramento da procissão com o Santíssimo Sacramento que se realizou ontem à tarde, por algumas das principais ruas da baixa de Faro, da igreja de São Pedro para a Sé, no dia em que a Igreja celebrou a solenidade do Corpo e Sangue de Cristo, popularmente conhecida como Corpo de Deus.

O prelado pediu aos cristãos que dêem a vida “uns pelos outros” através de “gestos, verdadeiramente, eucarísticos”, por forma evidenciarem uma “existência eucarística” que “vive constantemente” aquilo que celebram na própria eucaristia.

Corpo_deus_2015 (84)
Foto © Samuel Mendonça

O bispo diocesano destacou igualmente que celebrar a eucaristia é celebrar a fraternidade. “Jesus torna-se presente no meu coração e em todos aqueles que, em todo mundo, o recebem. E eu, com toda essa gente, sou um só com Jesus. Fazemos parte do próprio Jesus. Somos um só com Ele, membros do mesmo corpo. Ele é a cabeça e nós somos este corpo de Jesus, constituindo essa grande família que é a Igreja”, destacou, acrescentando que “receber Jesus no seio da própria vida, é construir esta fraternidade que abrange todo o mundo”.

D. Manuel Quintas evidenciou ainda a dimensão missionária da eucaristia. “Receber Jesus na eucaristia é também acolher esse grande desafio de comunicá-l’O aos outros. Uma Igreja, uma comunidade, um cristão que vive, verdadeiramente, a eucaristia tem que ser necessariamente uma Igreja, uma comunidade, um cristão missionário. Temos de dizer aos outros a alegria que nos vai no coração por recebermos Jesus e por fazermos parte d’Ele”, afirmou.

Destacando a “grande lição” que Cristo confia ao fazer parte de quem o recebe na comunhão, lembrou que “Jesus vem para matar todas as «sedes» e saciar todas as «fomes». “Não é sede de água apenas, não é fome de pão. É sede de amor, de perdão, de reconciliação, de paz, de alegria, de felicidade, de uma vida realizada, harmoniosa e feliz. É tudo isso que procuramos em Jesus”, sustentou D. Manuel Quintas, que salientou o modo “vivo e vivido” com que aquela festa foi assinalada com os sacramentos do batismo e da primeira comunhão de muitas crianças ontem celebrados.

O cortejo litúrgico foi precedido por uma tarde de adoração eucarística orientada pelas três paróquias da cidade de Faro e participada também pelos membros da paróquia do Montenegro, tendo a última meia hora de oração sido particularmente dedicada às crianças da catequese que acabaram por participar também na oração de vésperas a pedido do bispo diocesano que presidiu à mesma.

Corpo_deus_2015 (111)
Foto © Samuel Mendonça

A solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo celebra-se, normalmente, 60 dias depois da Páscoa, na quinta-feira a seguir ao primeiro domingo depois do Pentecostes.

A festividade deveria ter sido assim celebrada na passada quinta-feira mas passou para o domingo seguinte, depois de estabelecido entre o Governo português e a Santa Sé que o feriado em dia de semana seria “suprimido temporariamente, por cinco anos”, ou seja até 2017.

Verifique também

Padre algarvio Paulo Duarte escreveu novo livro para partilhar a experiência de «Rezar a vida»

O padre Paulo Duarte publicou o livro “Rezar a vida”, sobre a experiência da fé …