Inicio | Educação | Escuteiros do Agrupamento 98 do CNE realizaram raide entre duas ‘Portas Santas’ do Algarve

Escuteiros do Agrupamento 98 do CNE realizaram raide entre duas ‘Portas Santas’ do Algarve

«Família» Martin Luther King
«Família» Martin Luther King

Nos passados dias 2 e 3 de abril, o Agrupamento 98 de Faro, do Corpo Nacional de Escutas (CNE) levou a cabo a sua tradicional atividade da Páscoa, o ‘AKAMPAS’. Esta atividade, este ano ocorreu em regime de raide/acantonamento e pretendeu fazer a ligação entre duas ‘Portas Santas’ da Diocese do Algarve: a do Santuário de Nossa Senhora da Piedade (Mãe Soberana), em Loulé, e a da Sé de Faro, sendo que o percurso entre as duas seria feito a pé pelos grupos de escutas.

«Família» Aung San Suu Kyi
«Família» Aung San Suu Kyi

“Poder-se-ia assim enfatizar o desejo do papa Francisco de levar a cabo peregrinações pessoais e/ou em grupo, ligando portas santas de cada diocese, ou cidade, neste Ano Santo da Misericórdia”, explicam os dirigentes do agrupamento.

«Família» Ximenes Belo
«Família» Ximenes Belo

O Agrupamento, com um contingente de cerca de 80 elementos, das quatro secções – Lobitos (escuteiros entre os 6 e os 10 anos), Exploradores (entre os 10 e os 14 anos), Pioneiros (entre os 14 e os 18 anos) e Caminheiros (entre os 18 e os 22 anos) –, divididos por sete grupos e 14 dirigentes, iniciou a atividade no Santuário da Mãe Soberana, com uma oração da manhã e percorreu depois, a pé, durante o dia, um troço até à igreja de São Pedro do Mar, em Quarteira, onde pernoitou, no Centro Paroquial.

«Família» Dalai Lama
«Família» Dalai Lama

No domingo, dia 3 de abril, a atividade continuou, ligando Quarteira a Faro, até à Catedral. Este percurso só foi interrompido durante o almoço, na Quinta do Lago, continuando depois pela praia, até Faro. Durante o percurso, em que os Lobitos só percorreram a pé os troços da manhã, os grupos, aos quais foi atribuída a designação de «Famílias», integravam elementos das quatro secções, “proporcionando vivências e partilhas em conjunto entre mais novos e mais velhos, sempre positivas e enriquecedoras”, explica a organização.

«Família» Malala Yousafzai
«Família» Malala Yousafzai

“Tinham também de parar em várias etapas distribuídas pelo caminho, onde faziam um jogo cuja finalidade era identificar as obras de misericórdia, quer corporais, quer espirituais, que compunham um puzzle que deveria estar completo no final da atividade com as 14 obras. O objetivo era o de que ficassem a conhecer cada uma das obras de misericórdia e pudessem refletir sobre elas, acordando a consciência para o drama da pobreza, entrando no coração do Evangelho”, complementam os responsáveis.

«Família» Desmond Tutu
«Família» Desmond Tutu

Cada «Família» tinha o nome de sete personalidades distinguidas com o Prémio Nobel da Paz, tais como o Dalai Lama, Nelson Mandela, Desmond Tutu, Malala Yousafzai, Aung San Suu Kyi, Ximenes Belo e Martin Luther King. “Com a escolha destas individualidades pretendeu-se enaltecer cada um dos méritos que os levaram a ganhar o Nobel e também dá-los a conhecer aos elementos do Agrupamento, para que pudessem alargar os seus conhecimentos e perceber que, independentemente da religião de cada um, serão sempre valores de altruísmo, humanidade, justiça e igualdade, aqueles que deverão imperar, estando diretamente associados à Misericórdia para com os outros pela qual devemos pautar a nossa vida”, explica a organização.

«Família» Nelson Mandela
«Família» Nelson Mandela

A atividade terminou na Sé de Faro, às 18.30h de dia 3 de abril, com uma celebração da Palavra, presidida pelo assistente do Agrupamento, o cónego César Chantre, tendo sido precedida por uma passagem pelo batistério por cada uma das «Famílias».

Verifique também

Colégio de N. Sra. do Alto sensibiliza para a inclusão no Dia Internacional da Pessoa com Deficiência

O Colégio de Nossa Senhora do Alto, em Faro, assinala hoje o Dia Internacional da …